Brasil quer fortalecer relações com a Itália

22 de novembro de 2017

Parlamentares, diplomatas, militares e empresários do Brasil e da Itália se reuniram nesta quarta-feira (22) para debater medidas que facilitem o intercâmbio entre os dois países. O encontro, na Câmara dos Deputados, foi promovido pelo Grupo Parlamentar Brasil-Itália e a Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional.

Um dos destaques dessa parceria está na área da defesa, como explicou o ministro responsável pela área, Raul Jungmann. “Temos um projeto de modernização e recomposição da frota de blindados do Exército brasileiro com a ajuda fabricante italiana Iveco. O caça AMX, que gerou um grande salto para a Embraer, é exemplo disso”, disse.

Jungmann acrescentou que também há a expectativa de parceria com o país europeu no centro de lançamento de Alcântara, no Maranhão.

Para o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, a presença histórica da comunidade de origem italiana no Brasil torna cada vez mais importante o aprofundamento da relação entre os dois países.

Presidente do Grupo Parlamentar Brasil-Itália, o deputado Rubens Bueno (PPS-PR) também enalteceu a relevância desse intercâmbio para a economia nacional. “A Itália é um dos dez países que mais investem aqui. Temos cerca de 900 empresas italianas no Brasil, empregando quase 200 mil trabalhadores.”

Carteira de motorista
O seminário também discutiu ações que facilitem a vida dos cidadãos das duas nações. Entre elas, está o acordo que permite usar carteiras de motorista de um país no outro, como destacou a deputada Renata Bueno, representante brasileira no Parlamento Italiano.

“A medida foi aprovada pela Itália e, aqui no Brasil, passou pela Câmara dos Deputados e pelo Senado. Deve entrar em vigor no máximo em 60 dias”, ressaltou Renata.

Vistos
Outra mudança importante para incentivar os negócios entre os dois países é a concessão de vistos, que, segundo Maria Dulce Barros, do Ministério de Relações Exteriores, ficou mais simples com a nova Lei de Migração (13.445/17).

“Os vistos não serão mais de turismo, de negócios ou de trabalho temporário. Passam a ser todos vistos de visita, o que facilita o processo de concessão dos documentos”, explicou.

Além disso, continuou Maria Dulce, o procedimento de concessão de vistos poderá ser feito totalmente de maneira eletrônica, sem a necessidade de o interessado se deslocar até um consulado.