Brincar é importante para o desenvolvimento das crianças

11 de outubro de 2017
por

No mês das crianças, especialistas explicam importância social dos brinquedos e dão dicas de presentes
Neste mês das crianças, escolher o presente ideal nem sempre é uma tarefa fácil. É importante ter em mente, no entanto, que todo brinquedo oferece benefícios. Além de proporcionar entretenimento aos pequenos, os brinquedos fazem parte de um processo educativo, sendo importante para estimular o desenvolvimento da criança. Brincar promove interação e faz com que as crianças experimentem diferentes papéis, estabelecendo relações consigo, com os adultos, com os pares e com o universo ao seu redor.
Segundo a coordenadora Pedagógica da Educação Infantil do Externato São José, Millamay Bastos, ‘’brincando a criança aprende, mesmo sem intencionalidade, amplia o uso da linguagem oral e corporal, amplia sua capacidade social, seus recursos de movimentos e expõe os sentimentos e emoções’’. E a escola também tem um papel fundamental nesse processo educativo, pontua.
Com Especialização em Educação para a Diversidade e Psicopedagogia, a coordenadora enxerga na escola um espaço onde as crianças podem protagonizar suas interpretações. ‘’A escola é um dos locais em que a criança mais se encontra com os seus pares. Sendo assim, escola e educadores compreendendo que o brincar é cultural, que é uma linguagem que se aprende, são essenciais na ampliação e estruturação do repertório de brincadeiras das crianças. ’’
Sendo um espaço social, a escola pode oferecer várias possibilidades para as crianças, tendo um ambiente de brincadeira, como os cantos de faz de conta e as próprias brincadeiras sugeridas pelas crianças, as que queiram criar, diferentes jogos, e outras experiências com propósitos mais específicos, como utilizar as brincadeiras infantis nas aulas de Matemática. Diferente do modo convencional, pode-se explorar muitas ideias relacionadas a números. Ao brincar as crianças enfrentam desafios e problemas, buscando soluções para resolvê-los. Podem ser motivadas a realizar contagens, identificar algarismos, adicionar pontos, comparar quantidades, perceber distâncias, desenvolver diferentes noções envolvendo grandezas, geometria, ampliar o pensamento aritmético, entre outros conhecimentos; são alguns exemplos ressaltados pela coordenadora, onde a criança reforça e aprende, se divertindo.
Dicas
O brinquedo, além de proporcionar entretenimento aos pequenos, faz parte desse processo educativo, sendo importante para estimular o desenvolvimento da criança. Segundo a psicopedagoga e proprietária da brinquedoteca Casa da Praça, Ana Amélia Quevedo, ‘’todo brinquedo, seja ele industrial ou artesanal, proporciona alegria às crianças, e permite que elas se relacionem e avancem em suas descobertas e compreensão da realidade”.
E como neste mês é comemorado o Dia das Crianças (12), o mercado está cheio de opções capazes de estimular a evolução delas. Os brinquedos de montar, por exemplo, contêm várias peças, formas e tamanhos, sendo ideal para todas as idades. ‘’Eles permitem que as crianças criem e recriem, resolvam pequenos problemas, formulem hipóteses e estimulem o pensamento criativo, além de ampliarem relações sociais e afetivas ao montarem com os amigos, novos colegas ou familiares’’, explica.
Outra alternativa são os jogos. No mercado existem vários tipos, para todos os gostos, como os de tabuleiro, dominó, amarelinha, boliche e dados, que estimulam as crianças a desenvolverem pensamentos e a criatividade, além de ‘’possuírem regras que facilitam aceitar o outro e resolver conflitos, assim, o respeito será melhor internalizado, para que a relação com o próximo seja harmoniosa, prevalecendo o pensar coletivo”.
Os livros de história também são uma escolha interessante. Eles oferecem para as crianças um mundo de fantasia, levando ao exercício do imaginário, além de criarem um vínculo maior com os pais. “O adulto que se propõe a fazer a contação da história transforma o momento da leitura em uma grande demonstração de carinho e afeto’’, destaca a psicopedagoga.           
Vale ressaltar que é sempre importante estar atento à faixa etária indicada para o brinquedo, conforme o Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro), para evitar acidentes e também não atrapalhar o estímulo da criança, tratando-se de algo complexo para a idade.