Sargento Forças Especiais morto no Rio de Janeiro era subordinado a unidade de Goiânia

22 de fevereiro de 2018
Bruno Cazuca vitimado esta semana por ter sido reconhecido como militar

O militar morto por bandidos na madrugada de segunda-feira, no Rio de Janeiro, era subordinado ao Comando de Operações Especiais, com sede em Goiânia. Bruno Cazuca, 35 anos de idade, era instrutor dos cursos de Comandos e de Forças Especiais, servindo no Centro de Instrução de Operações Especiais (CIOpEsp), sediado em Niterói-RJ. O CIOpEsp é uma das unidades vinculadas ao Comando de Goiânia e está em luto desde então.

Bruno foi vítima de criminosos que faziam um arrastão na antiga Estrada Rio-São Paulo, em Campo Grande, zona oeste da cidade do Rio de Janeiro. Ele dirigia seu carro pela via quando foi abordado pelos criminosos, armados com pistolas. As investigações sobre o caso ainda estão em curso.

A viúva do Sargento Cazuca, Lara Maria Rodrigues, que está grávida, publicou em uma rede social, entre outros posts emocionados, trecho da Canção das Forças Especiais: “Quando a luta cerrar os seus punhos / exigindo o sangue do audaz / quando o medo atingir o mais forte / misturando o pavor com a morte / vai erguer-se um guerreiro do chão / destemido imortal varonil / com orgulho de ser um soldado / das forças especiais do Brasil”.

Abaixo, uma carta de despedida assinada pelos Comandos de todo Brasil que se solidarizam com a família e amigos.

É Comandos 40… Agora vc aterrou na ZL [zona de lançamento] da eternidade… E fez isso como um verdadeiro combatente, comandos e forças especiais que é… Lutando até o fim!

Me faltam palavras pra expressar os sentimentos de agora… Não é pela falta delas, mas pelo turbilhão de emoções que agora me veem à cabeça…

Quanta coisa vc enfrentou na vida? E venceu em tudo! Encheu de orgulho todos a sua volta, mas principalmente você, que a cada vitória você se identificava com a sua missão na terra…ser um guerreiro!  Viver uma vida sem desafios e obstáculos não seria a sua vida Cazuca… Os familiares me permitam mas não vou entrar em cada história da infância e adolescência do Comandos 40, pois só vocês sabem a dor de cada vitória dele… guardem essas lembranças dele, pois ele é um vencedor! Um homem íntegro, pai de uma família linda, marido leal e sincero, filho exemplar, irmão referência, amigo pra vida toda…

Daquele jovem que se formou na EsSA [Escola de Sargentos das Armas] com 22 anos, a sua carreira foi cheia de glória… Curso Básico Paraquedista, Curso Prec [Precursor Paraquedista], … Várias vitórias que iam construindo a figura do COMANDOS 40…

É Comandos 40… Cazuca, Cajoca… Que barra hein… em 3 meses de curso, nossa convivência parecia aumentar a cada brado de COMANDOS que a a gente dava… Ao olhar para você e ver um olhar direto sempre confiante na vitória, era esse cara que eu queria pra sempre ao meu lado no combate! Sempre disposto a ajudar todo mundo… um bizu, ajudava a carregar a mochila, embarque de viatura, aquele gole de água na caatinga… E parecia inabalável… O falecimento do avô, o nascimento da Laís, e você sempre esteve focado, pois sempre falou que a sua vitória era a vitória do sucesso dos seus familiares. Era o orgulho da esposa e das filhas! E por isso em nenhum momento pensou em pedir para ir embora… Ir embora? Fugir? Fracassar..? Isso nunca existiu na sua vida… Não seria agora, na hora do real combate que você assim faria…

Meu irmão de caveira, a dor que eu sinto agora é inexplicável…Hoje a minha caveira chora… Meu coração aperta… Como diz a canção “Em resposta ao clamor do dever, abandono meu lar meu amor, o convívio sagrado da prole, me transformam em lobo feroz…”

Mas como nos piores momentos que passamos juntos, desde 2012… O impulso para seguir um caminho de glória me desloca para fazer valer sua história, para fazer valer sua honra! Aquela canção que você tanto gosta “O rosto dos COMANDOS ninguém vê! Suas garras quem sentir não viverá!”

Você está em cada momento que vivi.. Estará sempre ao meu lado quando eu estiver no sanhaço.. A minha caveira é a mesma que a sua. As suas glórias são as mesmas que a minha! As suas derrotas são as mesmas que a minha!

Eu estarei aqui, cuidando da sua história, cuidando da sua família, velando a sua honra!

Você viveu sua vida de forma que o medo da morte nunca entrou em seu coração.

Nunca incomodou ninguém por causa de sua religião:

Respeitou os outros em seus pontos de vista, e exigiu que eles respeitassem os seus.

Amou sua vida, aperfeiçoou sua vida, embelezou todas as coisas em sua vida, Lara, Bruna, Laís e o comandinhos que está por vir…

Buscou fazer sua vida longa e de serviços para seu povo.

Preparou uma canção fúnebre nobre para o dia quando você atravessasse a grande passagem.

Sempre deu uma palavra ou sinal de saudação quando encontrava ou cruzava com um estranho em um local solitário.

Demonstrou respeito a todas as pessoas, mas não se rebaixou a ninguém.

Deu graças por seu alimento e pela alegria de viver.

Não tocou o aguardente venenoso que transforma os sábios em tolos e rouba deles suas visões.

Quando chegou sua hora de partir, não foi como aqueles cujos corações estão preenchidos de medo da morte, e que quando a hora deles chega eles choram e rezam por um pouco mais de tempo para viverem suas vidas novamente de uma forma diferente.

Agora meu irmão, cante sua canção de vitória e siga para glória eterna como um herói indo para casa.

 

Ass: Os Comandos!”