“Goiás se transformou em um gigante” afirma Marconi em entrevista

Governador afirma que, em parceria com os goianos, encerrará seu quarto mandato com “realizações que ficarão para a história e que transformaram Goiás em um Estado moderno”.

5 de dezembro de 2017
Foto: Wagnas Cabral

O governador Marconi Perillo afirmou nesta terça-feira (5/12) em entrevista ao portal de notícias de Diário de Goiás, que, graças à parceria com o setor produtivo, os trabalhadores e os cidadãos de todas as partes de Goiás, encerrará seu quarto mandato com um “legado administrativo irrefutável e uma agenda para o futuro”. Marconi disse que a partir de janeiro fará uma extensa agenda de entrega das obras realizadas com os investimentos do Goiás na Frente. “Teremos no mínimo uma inauguração por dia até abril”, disse.

“Temos um legado irrefutável, que transformou Goiás, definitivamente. É claro que as pessoas tendem a observar, também, o legado e a qualidade com que as coisas foram feitas”, disse, na entrevista aos jornalistas Altair Tavares e Vassil Oliveira, realizada no Palácio das Esmeraldas. “E é claro teremos também uma agenda de futuro. Sobretudo, uma agenda moderna em relação a políticas de agregação de valor, às nossas matérias-primas, modernização da economia, trabalhar com foco em competitividade, inovação, ganhos de produtividade, empregabilidade, quer dizer, nós teremos uma agenda daqui para frente”, afirmou.

O governador disse que, entre janeiro e abril de 2018, cumprirá uma agenda ampla de inaugurações, entregando ao menos uma obra por dia. Todas as áreas serão priorizadas, segundo ele. A agenda será divulgada. “Segurança, saúde, educação, habitação, saneamento básico, infra-estrutura, duplicação de estradas, esporte, cultura. Todas essas áreas receberão investimentos. É inequívoco o legado que nós deixaremos para Goiás depois desse tempo à frente do governo do Estado. E é claro que as pessoas tendem a observar isso”, avaliou.

Marconi citou algumas áreas para comparar os avanços de Goiás em seus quatro mandatos. Lembrou a duplicação em Trindade, da rodovia dos Romeiros, que passou de 18 para mais de 400 quilômetros de estrada duplicada (pronto ou em construção) e também a rodovia que liga Goiânia a Anápolis, que era a única federal asfaltada. “Hoje, Goiás tem mais de mil quilômetros. É claro que foram obras realizadas, muitas delas, pelo governo federal, mas sempre com o nosso suporte, com os nossos pedidos, as nossas exigências e com o nosso acompanhamento”, contou.

As duplicações das rodovias que ligam Anápolis a Brasília e Goiânia a Anápolis, disse Marconi, só saíram depois de ele ter ido dezenas de vezes ao Tribunal de Contas da União (TCU), assim como fez em diversos outros casos, tanto como governador quanto como senador da República.

“Então, é inequívoco que Goiás se transformou em um estado gigante, em um estado moderno, tanto no PIB quanto na geração de empregos, nas exportações, na indústria automotiva, farmacêutica, de confecções, alimentícia. Goiás se transformou também em termos de avanços tecnológicos, no ensino superior. Eu acho que o legado que fica é palpável. São realizações que, efetivamente, vão ficar na história do estado”, finalizou.

“Teremos no mínimo uma inauguração por dia a partir de janeiro”

Nós temos um legado que está ficando que é irrefutável; que é um legado que transformou Goiás, definitivamente. É claro que as pessoas tendem a observar também o legado e a qualidade com que as coisas foram feitas.  Agora, de janeiro até abril, nós teremos uma agenda de inauguração todos os dias. No mínimo, uma inauguração por dia. Nós vamos divulgar uma ampla agenda de inaugurações importantes em todas as áreas: segurança, saúde, educação, habitação, saneamento básico, infra-estrutura, estradas duplicadas, esporte, cultura; é inequívoco o legado que nós deixaremos para Goiás depois desse tempo à frente do governo do Estado. E é claro que as pessoas tendem a observar isso.

“Temos uma agenda para o futuro”

E é claro teremos também uma agenda para o futuro. Sobretudo, uma agenda moderna em relação a políticas de agregação de valor, às nossas matérias-primas, modernização da economia, trabalhar com foco em competitividade, inovação, ganhos de produtividade, empregabilidade, quer dizer, nós teremos uma agenda daqui para frente. Mas é claro que nós vamos sempre lembrar do que foi feito e do que fez com que Goiás se transformasse nesses últimos anos das nossas gestões. É inequívoco. Nós tínhamos apenas uma rodovia estadual duplicada, que era esse trecho de 18 quilômetros para Trindade, na rodovia dos Romeiros, que depois a modernizei inteira. Vamos deixar com mais de 400 quilômetros de estradas duplicadas, pronto ou em construção. Nós tínhamos apenas uma rodovia federal asfaltada, que era daqui para Anápolis; hoje Goiás tem mais de mil quilômetros. É claro que foram obras realizadas, muitas delas, pelo governo federal, mas sempre com o nosso suporte, com os nossos pedidos, as nossas exigências e o nosso acompanhamento. Essa rodovia, por exemplo, que liga Anápolis à Brasília, saiu depois de eu ter ido dezenas de vezes ao Tribunal de Contas da União (TCU) para desembargá-la. E assim aconteceu com as outras. A luta que eu fiz pela duplicação daqui para Jataí foi enorme, como senador, como governador; daqui para Itumbiara.

“Goiás se transformou em um gigante”

Então, é inequívoco que Goiás se transformou num Estado gigante, num Estado moderno, tanto no PIB quanto na geração de empregos, nas exportações, na indústria, na indústria automotiva, na indústria farmacêutica, na indústria de confecções, na indústria alimentícia. Goiás se transformou em termos de avanços tecnológicos, no ensino superior. Eu acho que o legado que fica é palpável. São realizações que, efetivamente, vão ficar definitivamente na história.