Recursos de fundos constitucionais financiarão infraestrutura e educação nos Estados

Para ministro da Integração Nacional, linhas de crédito vão ampliar oferta de energia sustentável no País, tornando seu custo mais barato

4 de Abril de 2018
por
Foto: Planalto

Linhas de créditos com condições facilitadas serão oferecidas para financiar a compra de sistemas de energia solar na casa dos brasileiros. O financiamento de quase R$ 3,2 bilhões virá dos fundos constitucionais do Centro-Oeste, no Nordeste e no Norte. São esperadas 10 mil operações em 2018.

No Nordeste, os juros anuais serão de 6,24% e o pagamento poderá ser feito em até 12 anos, incluindo quatro de carência. Os encargos para o Centro-Oeste serão de 7,33% ao ano, com 24 meses de prazo e seis de carência. No Norte, serão concedidos até 36 meses para a quitação do financiamento, com dois de carência.

Sistema

Ficam responsáveis pelas operações o Banco do Nordeste, o Banco da Amazônia e, no Centro-Oeste, o Banco do Brasil. Para o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, a iniciativa estimula e torna mais barata a produção de energia sustentável, além de reduzir o custo de vida dos brasileiros.

“Isso estará ampliando a oferta de energia para o sistema. Energia limpa, energia de qualidade e respeitando o meio ambiente”, afirmou. O anúncio ocorreu em reunião do presidente da República, Michel Temer, com os conselhos deliberativos das Superintendências do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), do Nordeste (Sudene) e do Centro-Oeste (Sudeco), nesta quarta-feira (4).

 Educação

Além do crédito para energia solar, outra medida do Governo do Brasil permite o uso dos recursos dos fundos constitucionais e de desenvolvimento para financiar o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Aluna do primeiro semestre de direito em Fortaleza (CE), Isabella Vieira de Lima, 19 anos, é uma das 120 mil pessoas que beneficiadas. “É uma experiência maravilhosa, que abriu caminhos para mim e para outros tantos como eu”, disse.

Fonte: Planalto