Zé Eliton, um perfil no diálogo democrático

Um executivo disciplinado e de total lealdade aos princípios básicos nas relações institucionais, Zé Eliton assumiu o Governo do Estado de Goiás por mais de umas dezenas de vezes, dando continuidade às ações e estratégias das políticas públicas implantadas.

5 de março de 2018

As relações humanas serão fortalecidas e bem conduzidas, somente quando elas forem fomentadas pelo diálogo acompanhado do respeito mútuo, sem qualquer espaço para a soberba e, tampouco, para a arrogância. Na sociedade, encontraremos todo tipo de personagens com características variáveis ou sedimentadas por raízes provenientes de sua educação, mas, por força do meio em que vivem, serão ou não influenciadoras das boas ou más ações, sejam elas coletivas ou individuais.  Dentro desse processo da formação humana, certamente você e eu, vamos optar pelas boas sementes germinadas, sustentadas e consolidadas nas raízes das verdadeiras relações humanas. Então, nessa semeação do bem, além de Marconi Perillo, incluo aí na sua esteira, um ser humano que vem se destacando com o seu jeito de homem solidário ao diálogo conhecido por todos como Zé Eliton.

Importante registrar um pouco da história de Zé Eliton, que teve como berço o município de Rio Verde (GO), onde nasceu em 27 de agosto de 1972.  Considerado um cidadão de posições definidas e uma figura humana acima de tudo, é pai de dois filhos, casado com Fabrina Müller Figuerêdo.  Zé Eliton tem como pai o Sr. José Eliton de Figuerêdo (conhecido por Dr. Eltin), advogado, formado pela UFG (GO) na condição meritória de um servidor de carreira do Banco do Brasil e a sua mãe zelosa, a Dona Mirtes Guimarães Figuerêdo que, juntos, souberam lhe proporcionar uma educação primorosa juntamente com suas duas irmãs, a contadora e gestora concursada da Secretaria da Fazenda Raquel e a arquiteta Renata.  Zé Eliton mantém ainda em suas veias os traços políticos do pai, o Dr. Eltin, ex- prefeito da cidade de Posse (GO) nos anos 80, considerado um cidadão promotor do bem.    Interessante! O que preserva em sua postura de hoje vem desde garoto e jovem prestativo do interior como declarou o amigo de outras épocas chamado Goda: “Zé Eliton… desde novo já era um líder muito carismático, tratava todo mundo bem e com respeito, seja na escola, seja na rua, nas brincadeiras…” e mais “… continue sendo essa pessoa humilde, fazendo o bem porque, com o bem o senhor só receberá o bem”.

 Naturalmente nos históricos dos agentes públicos, você, caro leitor, vai se deparar com todo tipo de origem revelada pelas bibliotecas livres ou oficiais e, nelas, vai encontrar muitos deles advindos dos berços e laços familiares mantidos pelos grandes empresários, latifundiários, bem como outros que foram criados nos corredores e jardins com recursos públicos na nobreza ofertados pelos palácios oficiais, brasis afora. Quanto à procedência de Zé Eliton, segundo registros, teve uma origem totalmente diferente daquelas até aqui mencionadas, pois o seu genitor trabalhou duro para o sustento de sua família pela fonte de salários recebidos enquanto funcionário de carreira no Banco do Brasil. Escritos e relatos revelam que o seu pai, o Sr José Eliton  (Dr. Eltin), como profissional do Banco do Brasil, prestou serviço em  várias localidades em cumprimento do dever que  lhe fora atribuído, dessa forma oportunizando aos seus filhos, dentre eles Zé Eliton, o conhecimento de novos costumes, hábitos e o jeito das pessoas de cada região, tendo como resultado dessas experiências a adaptação diante de novas relações humanas e desafios, o que certamente contribuiu, sem quaisquer dúvidas, para completar a dinâmica nas atribuições que o seu cargo exige como vice-governador.

Zé Eliton formou-se em Direito pela Universidade Católica de Goiás (hoje PUC-GO), em 1996. Já nesse ano, no mês de julho, recém-formado teve a missão jurídica de defender a coligação que deu sustentação à campanha do pai, o Dr. Eltin, como candidato a prefeito de Posse. Na época, segundo registros, o promotor da comarca, Tito Amaral, se recorda do bacharel: “O que tinha de talentoso, tinha de brigão. E ele era muito talentoso”. Tito se surpreendeu com a sua qualidade do mesmo jeito que Wilson Dias, o juiz de Direito da cidade de Posse. Em 2010, Eduardo Alckmin, ex-ministro do TSE, cujo escritório especializado em Direito Eleitoral trabalhou, enumerou vários adjetivos para defini-lo: “Ele é brilhante, talentoso, atuante, lúcido, preparado e estudioso” e ainda asseverou “Política é um caminho de muito sacrifício. O político sério tem uma vida de quase sacerdócio”. Não foi à toa, que Zé chegou até ao cargo de vice-governador e, já no próximo mês de abril do ano corrente, assumirá o cargo de Governador do Estado de Goiás pela desincompatibilização do maior estadista de Goiás, Marconi Perillo.  Educado na obra de Monteiro Lobato nos seus primeiros passos, passando pela juventude com a literatura nacional e, ao alcançar as escadas do ensino superior pela Universidade Católica de Goiás (atual PUC), devorou todos os clássicos da literatura mundial.  Sem dúvidas, as suas experiências impactantes logo aos 20 e poucos anos no início de sua carreira jurídica lhe credenciaram àquela época como Advogado especializado em Direito Eleitoral, com larga atuação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO) e, da mesma forma, membro da comissão de juristas do Senado Federal para elaboração do anteprojeto de reformulação do Código Eleitoral Brasileiro.  Foi ainda tesoureiro do Instituto Goiano de Direito Eleitoral (IGDEL), integrou a Comissão de Direito Político e Eleitoral da OAB-GO e fez parte também da Comissão de Advogados Publicistas da OAB-GO.

Zé Eliton, como seu pai, militava o tempo inteiro. Na dinâmica do tempo, já na condição de adolescente na cidade de Posse, marcou presença junto ao ex-governador Henrique Santillo na eleição de 1986: “Fui ao aeroporto recepcionar o governador Santillo e o líder da juventude, Marconi Perillo”.   Em tempos das eleições presidenciais, o então jovem idealista sonhador levou de Goiânia para a cidade de Posse uma bandeira maior do que um carro com o nome do saudoso presidenciável Mário Covas (PSDB).  Lançado pelo Dr. Vavá a vice-governador como candidato na chapa de Marconi na cidade de Posse e confirmado em encontro oficial do seu partido, em 2010, foi eleito vice-governador do Estado de Goiás na chapa majoritária com o governador Marconi Perillo e reeleito em 2014; Em 2011- nomeado como presidente da Companhia Energética de Goiás (Celg-Par); 2015 – secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Científico e Tecnológico e de Agricultura, Pecuária e Irrigação (SED) e, em 2016 – nomeado Secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP), exercendo esse cargo com muita competência, coragem e determinação, onde, teve a competência de enfrentar os constantes conflitos, levando uma melhor estrutura material e financeira às polícias militar e civil, comprovado pelo testemunho dado recentemente em  evento do Detran, pelo Governador Marconi, que afirmou: Zé Eliton foi “testado” nesses anos todos, comandou a Celg e a Secretaria de Segurança Pública. “Imagine um vice-governador ir para a SSP correndo o risco de sair de lá desgastado, mas ele topou o desafio”, disse. Foi secretário de Desenvolvimento e é o coordenador do Goiás na Frente. “Governar tem sido muito duro, exige convergência, união, escolha de boa equipe, é um trabalho cansativo”, afirma, justificando que, no entanto, governar tem como compensação o bem-estar da população.

 Um executivo disciplinado e de total lealdade aos princípios básicos nas relações institucionais, Zé Eliton assumiu o Governo do Estado de Goiás por mais de umas dezenas de vezes, dando continuidade às ações e estratégias das políticas públicas implantadas voltadas para o crescimento econômico em andamento em Goiás, enquanto o Governador Marconi Perillo chefiava missões em vários países com potencialidades reais de grandes investidores, a fim de fomentar a economia goiana. Política externa acertada de sucesso que transformou e elevou Goiás em um dos estados de maior estabilidade na relação de economia, desenvolvimento com renda e emprego nos últimos 19 anos, saindo de um PIB em 1999 de 17 bilhões para agora atingir os seus quase 200 bilhões. Aliás, fazendo um parêntese nesse grau de confiança exemplar de Zé Eliton, o Governador Marconi Perillo, desdobrou-se e não mediu esforços para conseguir ampliar os fluxos de nossas fronteiras comerciais, levando ao conhecimento desses investidores pelo mundo afora, sejam eles ligados a corporações estatais ou privadas, dando a garantia e a segurança jurídica necessária pelos incentivos fiscais para os seus investimentos aqui em Goiás, com a movimentação da logística em termos de infraestrutura no Brasil Central com sua condição geográfica estratégica, reforçada pelo Aeroporto de Carga da cidade de Anápolis, bem como outras opções por via férrea e rodoviária, sejam rumo aos portos dos oceanos Pacífico ou Atlântico.

Além disso, o vice-governador Zé Eliton, também na condição de representante oficial, quando convocado pelo governador Marconi Perillo, chefiou missões internacionais do Governo de Goiás comandando negociações que resultaram em importantes investimentos que têm fortalecido a economia do Estado.  Desempenhou com competência diversas funções atribuídas como Presidente do Conselho de Desenvolvimento do Estado (CDE) que tem a função, entre outras, de analisar e aprovar cartas-consultas de solicitação de financiamentos dos empresários goianos junto ao Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO); integrou o Conselho Deliberativo (Condel) da Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco); Conselheiro titular no Conselho Deliberativo do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas em Goiás (Sebrae GO); Presidente do Fórum Estadual das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte de Goiás (Femep-GO); Presidente do Conselho de Administração da GoiásFomento, sendo também coordenador do maior programa de investimentos do país, o Goiás na Frente, dentre elas a vertente  do Terceiro Setor – Social.

O Vice-Governador Zé Eliton, tem participado efetiva e ativamente das ações e estratégias das políticas públicas com orçamentos definidos pela política fiscal comandada pelo Governador Marconi Perillo. Marconi e Zé trabalham numa sintonia completa, onde as afinações das ações são amplamente discutidas e avaliadas com todos os segmentos da sociedade, o que é estabelecido pelas regras e dispositivos legais sob a ótica da responsabilidade fiscal, que desta forma tem proporcionado os melhores resultados para a economia goiana, gerando emprego e renda até mesmo em período da crise política, econômica e social instalada nos últimos anos no Brasil. Em maio de 2017, foi lançado oficialmente o Programa Goiás na Frente pelo Governador Marconi Perillo e o Vice-Governador Zé Eliton, o qual foi escolhido e indicado por sua eficiência para ser o coordenador do programa. O Programa Goiás na Frente destacou-se nacionalmente como o primeiro programa de investimentos do Brasil pós-crise. Através dele, o governo do Estado planejou os investimentos e definiu estratégias.

O Vice-governador Zé Eliton e o Governador Marconi Perillo sempre trabalharam juntos, em completa sintonia, independentemente de paixões partidárias. Obstinados pelo crescimento econômico, implantaram em Goiás a forma e a relação republicana com todas as representações políticas partidárias, classistas e sociais, bem como todo segmento da sociedade e, com certeza, no atendimento da necessária  consolidação das realizações desse governo moderno e eficiente em benefício de todos os goianos. A sua forma republicana de governar deixou claro a todos, sejam da situação ou da oposição, que receberam e continuarão a ter o mesmo tratamento administrativo na relação institucional para implementação das políticas públicas, em parceria com todos os municípios de Goiás. Com esta visão ao longo dos últimos anos, Goiás sob essa tutela proativa, tornou-se uma referência exemplar para todo Brasil. Deixo aqui para a reflexão do meu caro leitor, a seguinte frase dita pelo governador Marconi Perillo em referência a Zé Eliton, justificando que ele “foi testado” ao longo dos anos, que afirmou categoricamente: “Governar não é para lenientes, não é qualquer um que pode chegar aqui e resolver as coisas. Exige conhecimento de causa, competência e espírito público”. E completou: “Zé Eliton, está preparado para futuros desafios”. Muita Paz!