Artistas Fabiana Queiroga e Filomena Golvêa juntas na exposição Entre Dois Olhares

2 de Maio de 2016
por

O corpo como um lugar de transição, memória, afeição, num jogo de transparências e sobreposições. As artistas plásticas Fabiana Queiroga e Filomena Gouvêa se unem pela primeira vez para a exposição coletiva Entre Dois Olhares, com trabalhos que revelam suas miragens transversais sobre o corpo humano. Durante todo o mês de maio as obras ocupam a Vila Cultural Cora Coralina. A abertura acontece amanhã, 03 de maio, às 19h.
Através de diferentes linguagens visuais, as artistas ilustram a sensibilidade do corpo humano em possibilidades para o ato criativo em imagens poéticas. A mostra tem curadoria do artista plástico e professor da Universidade Federal de Goiás (UFG) Zé César. Enquanto Fabiana Queiroga caminha com um traço sempre em movimento, com transições sensoriais, Filomena Golvêa brinca com a relação da arte e ciência com estudo sobre o corpo, em desdobramentos em gravuras e objetos.
De acordo com Fabiana, o ato de perceber o corpo é uma verdadeira autoanálise, uma reflexão contemporânea e social sobre o contexto no mundo. “Falo sobre o corpo nas representações da figura feminina aplicada na aquarela, gravura, fotografia e objeto. Os trabalhos criam um laço com o olhar e o ser olhado, transpõem o toque e o espaço com suas percepções dos tons e as sutilezas contidas no fato de perceber o que nos toca”, reitera a artista.
Já para Filomena existe uma busca na imagem médica para sair da superfície e procurar o que é comum aos humanos em sua interioridade física. “Na exposição, apresento partes do corpo, cérebro e coluna, como interioridade que se relaciona com a imagem de uma paisagem. Debruço à temática do corpo numa relação entre imagens de arte e ciência. O processo criativo relaciona-se à gravura sobre o meu próprio corpo em cruzamentos, mixagens de técnicas e sobreposições de imagens”, explica.
Com atos criativos semelhantes, as artistas têm uma verdadeira gana por trabalhar com arte numa relação de pesquisa tanto teórica quanto prática e, principalmente, no ensino, já que também lecionam na Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-Goiás). “Há em comum principalmente o fato de olharmos a partir de nossos próprios corpos a favor de outros contextos. O que difere os olhares é que a Fabiana trabalha com a representação da figura humana em situações do interior, com memória de gestos, afetos e comportamentos”, aponta Filomena.

Conheça as artistas
Fabiana Queiroga
O trabalho da artista caminha entre o espaço de fora e o poético com interpretação do pensar, tendo como suporte o tecido, o papel e o objeto. Com um traço sempre em movimento, Fabiana tenta criar uma relação direta com o observador, levando em seus trabalhos uma temática sensorial e afetiva.
Filomena Gouvêa
Doutoranda em Arte e Cultura Visual pela Faculdade de Artes Visuais (FAV), Filomena desenvolve pesquisas teóricas e práticas em poéticas visuais, com temas ligados a arte e a ciência, num foco sobre o corpo humano, em desdobramentos em gravuras e objetos.

ANOTE
ABERTURA: Entre dois olhares
Abertura e Vernissage – 03 a 31 de maio
Horário: 19 horas
Local: Vila Cultural Cora Coralina
ENTRADA FRANCA