Ipasgo quita primeira parcela das dívidas de dezembro com a rede credenciada

Nesta quinta-feira, prestadores de serviços cadastrados como pessoas físicas receberam faturas de dezembro avaliadas em R$ 19, 4 milhões. Pagamentos para pessoas jurídicas acontece no dia 29 de março

22 de março de 2019
 
A primeira parcela das dívidas de dezembro de 2018 com a rede credenciada ao Instituto de Assistência aos Servidores do Estado de Goiás (Ipasgo) foi paga nesta quinta-feira, 21.  Os prestadores de serviços cadastrados como pessoas físicas, que representam 3.210 profissionais no Estado,  receberam R$ 19.437.027,49.
 
O pagamento das dívidas deixadas pela gestão passada está sendo feito de forma escalonada. A quitação dos débitos com os prestadores de serviços cadastrados como pessoas jurídicas, que são 900 empresas da área da saúde, vai acontecer no dia 29 de março. Nesta data, serão pagas faturas avaliadas em R$ 100.334.971,50. 
 
Ao total, as dívidas do instituto com a rede credenciada em dezembro somam R$ 119,7 milhões. O presidente do Ipasgo, Silvio Fernandes, diz que as medidas tomadas para regularizar a situação com a rede credenciada seguem a determinação do governador Ronaldo Caiado de sanear as contas públicas.
 
Segundo ele, a atual gestão está promovendo ações emergenciais para quitar as dívidas herdadas referentes ao ano de 2018 e, assim evitar quaisquer danos aos usuários do plano de saúde. “Nosso objetivo é organizar as finanças do instituto e honrar as obrigações com a rede credenciada e, principalmente, com os nossos usuários. Nossos esforços são para que a prestação de serviço não seja paralisada de forma alguma”.
 
Em dois meses de gestão, Fernandes aplicou medidas administrativas para reduzir gastos e conseguiu sanar, até o momento, R$ 357,9 milhões em dívidas herdadas da gestão anterior com os profissionais e empresas de saúde credenciados ao órgão. 
 
O presidente do Ipasgo afirma que o instituto possui um déficit mensal de R$ 10,5 milhões por mês. Quando assumiu a presidência do Ipasgo, encontrou no caixa do órgão somente R$ 78,950 milhões, valor insuficiente para pagar os valores devidos à rede credenciada. Após as negociações com o Governo do Estado e a aplicação de medidas de economia, em fevereiro, Fernandes está organizando as contas do Ipasgo.
 
Segundo ele, a falta de pagamento aos prestadores de serviço poderia inviabilizar o atendimento de saúde dos mais de 620 mil usuários do plano de saúde. “Neste primeiro momento, nosso objetivo principal foi organizar, na medida do possível as contas do Ipasgo, para quitar de forma ágil os débitos deixados pela gestão passada com a rede credenciada e manter a normalização dos atendimentos de saúde”.
 
Os valores devidos referentes aos meses de setembro e outubro, que somavam R$ 122,7 milhões, foram pagos por esta gestão no último dia 6 de fevereiro. Os débitos referentes a novembro de 2018 foram pagos, de forma escalonada, também no mês de fevereiro. Os prestadores de serviços registrados como pessoas físicas receberam as faturas avaliadas em R$ 16 milhões, no dia 20. Os cadastrados como pessoas jurídicas tiveram os débitos de R$ 99,5 milhões quitados no dia 28 de fevereiro.
 
“Estamos agindo de forma responsável e transparante para levar confiança aos nossos usuários e aos prestadores de serviço”, afirma Fernandes que restabeleceu o diálogo com os profissionais de saúde e entidades representativas, mostrando a situação real do Ipasgo e firmou compromissos reais de quitação das dívidas.