HDT desenvolve ação para capacitar colaboradores a identificarem Sepse  

12 de setembro de 2018

Para marcar o Dia Mundial de Combate a Sepse, celebrado em 13 de setembro (quinta-feira), o Hospital Estadual de Doenças Tropicais dr. Anuar Auad (HDT), da SES – Governo de Goiás, gerido pelo Instituto Sócrates Guanaes (ISG), promove do dia 12 a 14 de setembro (de quarta a sexta-feira) ações nos setores assistenciais da unidade para alertar sobre o tema. A programação foi organizada pelo Serviço de Vigilância em Saúde (SVS) do hospital.

A sepse é um conjunto de manifestações graves em todo o organismo produzidas por uma infecção e que se tornou um problema de saúde no Brasil, com dados que impressionam. Segundo o Instituto Latino Americano de Sepse (ILAS), atualmente, no Brasil, a sepse é responsável por mais mortes do que o câncer ou infarto agudo do miocárdio. Estima-se cerca de 670 mil casos no país por ano. A maioria das ocorrências são de pacientes atendidos nos serviços de urgência e emergência. Segundo o ILAS, a letalidade por sepse de pacientes provenientes desses serviços de instituições públicas brasileiras é de 51,7%.

Diante desse quadro, o HDT fará nos turnos matutino, vespertino e noturno, dinâmicas, distribuição de fôlderes, com o intuito de treinar suas equipes assistenciais para reconhecerem os primeiros sinais de gravidade, visto que o reconhecimento precoce é a chave para o tratamento adequado.

Embora não existam sintomas específicos, todas as pessoas que estão passando por uma infecção e apresentam febre, aceleração do coração (taquicardia), respiração mais rápida (taquipneia), fraqueza intensa e tonteiras e pelo menos um dos sinais de gravidade, como pressão baixa, diminuição de quantidade de urina, falta de ar, sonolência excessiva ou ficam confusos (principalmente os idosos) devem procurar imediatamente um serviço de emergência. O tratamento da sepse geralmente deve ser realizado em unidades de terapia intensiva (UTI), onde são administrados antibióticos para combater o foco da infecção.

.