Grupo goianiense Natos investirá 1 bilhão em resorts

27 de junho de 2018
por

O Grupo Natos, incorporadora de hotéis e resorts com sede em Goiânia, investirá 1 bilhão de reais até maio de 2020 em empreendimentos no setor. O grupo já possui um grande investimento no município de Olímpia, São Paulo, destino de turistas que procuram águas termais.

O Olímpia Park Resort recebeu 415 milhões para a instalação de um complexo de piscinas, spa, academias, praça de alimentação, cinema e quatro edifícios de 17 andares, cada um. Paralelo a este grande investimento, o Natos também já começou a comercialização do Águas Park Resort, na mesma cidade, com entrega programada para 2020.
Com planos de ter sempre novidades “de férias a férias”, os empresários do setor acreditam que o mercado só tem a crescer.
Mercado tão aquecido, que a Rede Tauá, que administra  três resorts e um hotel com 1.300 quartos, prevê um cenário de crescimento de 15% a 20% só neste ano e busca oportunidades para construir novos resorts.
A Rede também está investindo 108 milhões de reais em um resort em Goiás, o Tauá Alexânia, a ser inaugurado no segundo semestre de 2019, construído em parte – 30 milhões – com recursos obtidos através de uma linha de crédito do Fundo do Centro Oeste e outra parte levantada com vendas para clientes particulares, que poderão usufruir de um dos empreendimentos, modalidade chamada de “férias compartilhadas”.
Por este sistema, o comprador paga um valor – no caso do grupo Natos as unidades saíram a partir de 48 mil reais – e pode utilizar o local durante quatro semanas por ano. Surgido na Europa na década de 1970, este sistema ganhou impulso nos EUA, com alguns grupos americanos faturando na casa dos bilhões de dólares anuais.
No Brasil, vários resorts utilizam este sistema, como o Grupo Rio Quente, que opera resorts em Caldas Novas, Goiás, e possui no total 2.700 quartos em 12 hotéis e três parques que recebem em torno de 3 milhões de hóspedes e visitantes por ano e tem como meta fechar 2018 com um incremento de 14% no faturamento total, que pode atingir 675 milhões brutos.
Como se vê, nem tudo é crise no Brasil. Que venham mais investimentos e mais empregos.