Órgãos de segurança do Paraná avaliam locais para prisão de Lula

Complexo Médico Penal (CMP), em Pinhais, abriga condenados na Lava Jato e pode ser um dos destinos de Lula

5 de abril de 2018
por
Foto: Google

Após o Supremo Tribunal Federal (STF) negar o habeas corpus preventivo impetrado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado a 12 anos e um mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso triplex do Guarujá, no litoral de São Paulo, órgãos de segurança do Paraná avaliam um local para Lula cumprir pena dentro do sistema prisional.

A Secretaria de Estado da Segurança Pública do Paraná (Sesp), representando o Departamento Penitenciário, Polícia Militar e Polícia Civil, e a Justiça Federal, que tem à frente o juiz federal Sérgio Moro, ainda não definiram se o ex-presidente será encaminhado para o Complexo Médico Penal (CMP), em Pinhais, onde estão abrigados outros presos da Lava Jato desde 2015, ou para a sede da Polícia Federal.

No presídio em Pinhais estão o ex-tesoureiro do Partido dos Trabalhadores João Vaccari Neto, o ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha e o ex-governador o Rio de Janeiro Sérgio Cabral. Lá, uma pavilhão localizado nos fundos do presídio tem uma galeria que reúne outros políticos e empreiteiros condenados na operação.

A definição do local deve partir de Moro. A opção defendida pelo magistrado seria uma sala reservada na Superintendência da Polícia Federal, no Bairro Santa Cândida, em Curitiba. Para a Sesp, o Complexo Médico Penal  seria o local mais adequado e considerado o mais seguro por não abrigar presos ligados a facções criminosas.

Há, ainda, a possibilidade de que nos primeiros dias Lula fique abrigado em um quartel do Exército Brasileiro, no 5º Batalhão Logístico, ou no Cindacta, da Aeronáutica, no Bairro Bacacheri, até que seja definido o local.

 

Fonte: RIC Notícias