Sistema de “créditos sociais” será utilizado para avaliar todo e qualquer cidadão chinês

O sistema contará com a ajuda da mais alta tecnologia para que o governo comunista chinês acompanhe o comportamento e todos os passos de seu povo: de infrações de trânsito, brigas de vizinhos, e até opiniões em redes sociais.

5 de dezembro de 2017
Foto: Evandro Menezes de Carvalho

A China do presidente Xi Jinping, a partir de 2020, pretende controlar ainda mais seus cidadãos.

Foi anunciado pelo governo Jinping que um sistema de “créditos sociais” será utilizado para avaliar todo e qualquer cidadão.

Ele contará com a ajuda da mais alta tecnologia para que o governo comunista chinês acompanhe o comportamento e todos os passos de seu povo: de infrações de trânsito, brigas de vizinhos, e até opiniões em redes sociais. Ele prevê, inclusive, a instalação de milhares de câmeras de reconhecimento facial nos centros urbanos.

Assim, desenvolveram o sistema – denominado ‘Conta Social ‘ – no qual pontuará negativamente todo o ato considerado indesejável ao modelo estatal proposto” e, positivamente, aquilo que lhe interessar, “ para o bom funcionamento de uma sociedade harmônica”.

Neste sentido, o governo terá um mega centro de dados que deverá armazenar as informações pessoais sobre os chineses. Com base nas informações registradas e eventuais infrações cometidas, decidirão como será a vida do cidadão: se será empregado; se receberá um empréstimo bancário; se poderá frequentar uma universidade; ou ainda se receberá um desconto em alguma seguradora.

O sistema começará com 1000 pontos para cada pessoa. O controle promete ser total e tudo que não for interessante ao regime será punido. Desta forma, apenas terão boas chances de ascensão social aqueles bem avaliados pelo governo central.

Os principais alvos do novo modelo serão os professores, jornalistas, intelectuais, advogados e ativistas políticos. A China ruma também para uma completa ditadura digital, que diminuirá ainda mais a pouca liberdade de seu povo.

A estrovenga foi implantada em 2014, na cidade de Rongcheng – província de Shandong (que tem 670 mil habitantes) e mostrou-se muito satisfatória para os interesses despóticos dos comunistas.

Se a moda pegar, os atrasados comunistas sul-americanos poderão se entusiasmar com o sistema chinês de controle. É a tecnologia a serviço do totalitarismo.

Tempos ainda mais sombrios se avizinham. Mao Tse Tung, Stalin e Hitler, por certo, aplaudiriam de pé o novo modelo inventado “para um mundo melhor”, obviamente!