Na Alemanha, exposição causa polêmica ao equiparar mártires a terroristas

Trata-se de um “evento cultural” onde personalidades como Sócrates, Joana D’arc e Martin Luther King aparecem como mártires ao lado de terroristas islâmicos como Ismaël Omar Mustafaï, Khalid & Ibrahim El Bakraoui e Mohammed Atta.

4 de dezembro de 2017
Mohamed Atta

A Alemanha abrirá quarta-feira, 6,  uma exposição curiosa e bastante ordinária.

Em Kreuzberg, Berlim, a chamada “Märtyrenmuseum” está chamando a atenção de todos que têm o mínimo bom senso e possuem funções cognitivas dentro dos padrões normais.

Trata-se de um “evento cultural” onde personalidades como Sócrates, Joana D’arc e Martin Luther King aparecem como mártires ao lado de terroristas islâmicos como Ismaël Omar Mustafaï, Khalid & Ibrahim El Bakraoui e Mohammed Atta.

Mustafaï, terrorista do Estado Islâmico, foi responsável pela morte de 89 pessoas no Bataclan, em Paris, no ano de 2015.

Os irmãos assassinos Bakraoui foram responsáveis pela morte de 35 pessoas na Bélgica, quando do atentado ao aeroporto de Bruxelas.

Atta  (foto) foi um dos terroristas responsáveis pelo 11 de setembro em Nova Iorque.

Segundo os expositores, “mártires são aqueles que dão sua vida por uma causa, e os islâmicos lutaram oferecendo suas vidas em prol daquilo que acreditaram: acabar com o cultura ocidental”. Segundo eles, “mártir deve ser interpretado como aquele que é herói em sua própria cultura e nada além disso”.

Esta estapafúrdia e desvirtuada interpretação sobre mártires já tinha sido exposta na Dinamarca e lá não foi bem aceita. Colheu severas críticas.

Um país que não sabe mais a diferença entre mártires e assassinos terroristas, não merece piedade alguma por parte dos segundos. Eles estão legitimados para agir em nome daquilo que acreditam, já que isso faz parte cultura que carregam.

Atentado terrorista que ceifa vidas humanas não pode ser considerado “arte de mártires” como propõem estes néscios. Entretanto, o ocidente resolveu mergulhar fundo para que seu suicídio moral e cultural se dê de forma rápida.

Felizmente, uma deputada do partido AfD, Beatrix von Storch, está processando criminalmente os curadores e promotores da bizarrice em forma de pseudoarte por promoverem atos de terrorismo.

Assim, caso assistam mais um atentado terrorista no país, lembrem-se que isto poderá ser interpretado como arte de mártires.