Planejamento estratégico é apresentado por servidores da SIC

A iniciativa do secretário de Indústria, Comércio e Serviços Wilder Morais tem como objetivo estabelecer metas precisas para a pasta

12 de março de 2019
por
Servidores da secretaria de Indústria, Comércio e Serviços do Estado de Goiás apresentaram nesta segunda-feira, 11, o planejamento estratégico da pasta que deverá nortear as ações, com objetivo de atingir metas precisamente estabelecidas para os próximos anos. O titular da pasta, Wilder Morais, também acompanhou, durante toda manhã, as apresentações que tratavam principalmente dos vetores do desenvolvimento do Estado.
Recriada através da Lei 20.417/2019, a Secretaria de Indústria, Comércio e Serviços tem como proposta de valor a melhoria da qualidade de vida dos goianos. O maior objetivo dentro da estrutura é a promoção da geração de emprego e renda das famílias de Goiás por meio de investimentos públicos e privados nas atividades industriais, comerciais e de prestação de serviços e fomento ao empreendedorismo.
A política de desenvolvimento regional da secretaria prevê o desenvolvimento das áreas vulneráveis, a integração entre as regiões com foco na agregação de valor nas cadeias produtivas, mapeamento da fragilidades e pontencialidades dos locais, redução das disparidades regionais e direcionamento de investimentos conforme a vocação de cada região.
O planejamento estratégico foi idealizado pelo secretário da pasta. Segundo Wilder, é preciso que os servidores estejam em total sintonia para que o desempenho da SIC seja o melhor possível. “O estudo e a dedicação do servidor são indispensáveis. Na minha visão, quanto mais envolvidos com as problemáticas e as estratégias da pasta, mais sintonia teremos. Assim as coisas acontecerão com muito mais harmonia, atingindo todas as metas estipuladas”, comenta o secretário.
A estrutura da Secretaria de Indústria, Comércio e Serviços engloba uma diversidade de programas e ferramentas que têm como objetivo desenvolver as indústrias já existentes, atrair novas empresas, além de fomentar o empreendedorismo dos goianos. Goiás tem enfrentado sérios problemas em relação a desaceleração econômica nos últimos cinco anos. A renda média do goiano, por exemplo, é menor que a renda média do brasileiro.
Para superar entraves que são provocados pela desaceleração econômica, foi estabelecida uma política de atração de investimentos que é baseada na prospecção de investimentos nacionais e internacionais, agregação de valor da produção destinada à exportação, desenvolvimento da indústria do turismo, exploração sustentável dos recursos minerais e a desburocratização dos processos para implantação de empreendimentos.
O planejamento voltado para geração de emprego e renda também foi apresentado. Entre as estratégias apresentadas estão: o mapeamento das demandas do mercado de trabalho, a qualificação profissional com foco nas demandas do mercado, encaminhamento ao mercado de trabalho, fomento ao empreendedorismo e o apoio e incentivo ao cooperativismo. O titular da pasta, Wilder Morais, determinou objetivos básicos para que o trabalho da secretaria seja referência. “Vamos acompanhar todos os casos que der entrada nessa pasta, desde o protocolo de intenção de instalação até o desempenho produtivo da empresa quando ela estiver em pleno funcionamento. Não vamos deixar o empresário desamparado”, arremata.