Goiás deve fechar 2018 com novo recorde em exportações

13 de dezembro de 2018

As exportações goianas em 2018 devem ultrapassar os US$ 8 bilhões, atingindo novo recorde, segundo estimativa da Superintendência Executiva de Comércio Exterior da Secretaria Estadual de Desenvolvimento (SED). Somente entre janeiro e novembro de 2018, as vendas para outros países alcançaram US$ 6,94 bilhões, superando o acumulado em todo o ano de 2017, quando o total foi de US$ 6,90 bilhões, maior valor histórico até então. O resultado da balança comercial de novembro foi divulgado nesta quinta-feira (13/12) pela SED.

“Já atingimos o patamar do fechamento do ano de 2017, então ainda temos um mês de crédito. Para 2019, a expectativa é de resultados ainda melhores. O trabalho realizado nestes últimos quatro anos deve refletir positivamente, abrindo portas para as relações internacionais e, consequentemente, para o comércio exterior”, afirma o superintendente Executivo de Comércio Exterior,William O´Dwyer.

Segundo ele, as missões comerciais realizadas pelo Governo de Goiás para outros países, além dos investimentos das empresas na melhoria da qualidade de produção e na diversificação dos produtos, abriram as portas para os produtos goianos no exterior.

Novembro

A balança comercial de Goiás continuou sua trajetória positiva em novembro de 2018, com saldo comercial superavitário de US$ 177,76 milhões. Esse resultado de bem-sucedidas negociações de 368 produtos diferentes com 119 parceiros internacionais valeu para o Estado o ranking positivo pelo 59º mês consecutivo.

As exportações goianas em novembro atingiram o montante de US$ 458,93 milhões, com retração de 18,12% na comparação com o mês anterior e decréscimo de 14,44% em relação ao mesmo período de 2017. As importações totalizaram US$ 281,17 milhões, com crescimento de 7,04% em relação a novembro de 2017, apesar da pequena redução de 3,33% em relação ao mês anterior.

Exportações

As exportações de carnes sobressaíram-se em relação aos demais produtos da balança comercial goiana, somando US$ 119,01 milhões, ou 25,93% do total, índice 3,07% maior que o registrado em novembro de 2017. O protagonismo das carnes continuou em novembro, com crescimento de 4,01% de vendas das carnes bovinas e de 38,92% a mais nas vendas de carnes de aves.

Em segundo lugar na planilha das exportações estão as ferroligas, com US$ 80,81 milhões no volume de negócios, ou seja, 17,61% de todo o valor exportado no período, e mesmo em relação a novembro de 2017 as ferroligas registraram crescimento de 54,03% nas exportações.

O complexo soja ocupou o terceiro lugar no ranking das exportações, com US$ 40,25 milhões em volume de negócios, ou 11,16% do montante comercializado no mês passado, tendo a China e a Índia como principais destinos. Em relação a novembro de 2017, a soja apresentou retração de 48,32% no volume de vendas, recuo devido ao período de entressafra.

Ainda na tabela de exportados, Goiás comercializou US$ 40.253 milhões de complexo milho, que mesmo retraindo-se em 40,58% em relação a novembro de 2017, chegou no mesmo período deste ano a 8,77% do montante das exportações feitas pelo Estado.

Os países de destino dos produtos goianos continuam sendo os fiéis parceiros: China em primeiro lugar, com a aquisição de 29,54% dos produtos comercializados, ou US$ 135.581 milhões. A Índia aparece como segunda maior parceira comercial de Goiás, com US$ 35.335 milhões em aquisições, ou 7,79% do total. Os Estados Unidos ocuparam a terceira colocação de novembro nas vendas do Estado, com 6,29% dos produtos.

Importações

Em novembro de 2018, foram importados 1.319 produtos diferentes de 68 países, com destaque para os produtos farmacêuticos, mais uma vez liderando o menu dos produtos importados graças ao dinamismo do polo farmacêutico de Goiás, o terceiro maior do País. Foram US$ 107,74 milhões em importações, ou 38,32% do total.

Com crescimento de 36,73% em relação a novembro do ano passado, seguiram-se entre os produtos importados, máquinas e equipamentos e aparelhos elétricos e mecânicos, representando 14,32% do volume, ou US$ 40,2 milhões. Em terceiro lugar apareceram adubos (fertilizantes) com 12,29%, seguidos por veículos e suas partes, com 12,13%, entre outros.

Os Estados Unidos, mais uma vez, ocuparam o primeiro lugar no ranking dos países de origem das importações, com 21,28% das aquisições na balança de Goiás, totalizando US$ 59,8 milhões.

Os dados da balança comercial compilados pela SED têm como fonte o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.