Uma sociedade sem ética é uma sociedade enferma

15 de maio de 2018
Gisele M. Machado
por

Coach de Relacionamento e Palestrante Motivacional

Levantei bem cedo e fui a uma pequena padaria para comprar o pão de cada dia. Lá chegando percebi que os funcionários eram muito solícitos e educados com a clientela. Segui para o caixa para pagar a minha despesa e lá estava o dono que me recebeu com um sorriso no rosto. Intrigado com tamanha educação da parte dele, perguntei como ele fazia para manter aquela pequena empresa tão bem organizada e com os empregados tão educados, ele virou para mim e disse: “Trato meus funcionários com respeito e reconheço quando eles se destacam bem em seu trabalho”. Agradeci, elogiei o atendimento e a organização daquela pequena empresa.

Este exemplo de empresa me fez pensar, porque não fazemos de nosso país um lugar assim, justo para se viver com dignidade, honestidade e com respeito ao cidadão de bem, que trabalha no seu dia a dia com dedicação  e só deseja uma pátria mais justa para se viver, sem violência, sem corrupção, sem falta de educação, sem falta de segurança e saúde ?

Diante desses fatos, temos que admitir que o nosso país está doente, com uma das mais graves enfermidades, que contamina todos os âmbitos da sociedade, governos, instituições, empresas, partidos políticos e famílias. Estamos infectados, e o nome desta doença se chama corrupção. Ela está corroendo a nossa paz, a nossa segurança, a nossa dignidade, a nossa saúde e promovendo uma instabilidade geral em nossa amada pátria.

Mas então, existe uma saída, ou devemos ficar estáticos esperando sempre o desastre acontecer? A resposta é sim. Existe uma cura, mesmo que o tratamento seja tão doloroso para o paciente Brasil, porque sabemos que esta reformulação não é fácil e que não tem como acontecer de uma hora para a outra. Vamos começar atacando em primeiro lugar o nosso maior inimigo, a corrupção. Você vai dizer, sim já começamos, haja vista o que a lava jato vem fazendo, mesmo com todos os obstáculos que ela enfrenta. Entretanto, ela é apenas uma parte deste processo de mudança que tanto precisamos. Não pode haver mudanças se ficarmos parados, apenas conversando e indignados com a situação. O remédio para essa doença se chama ética e ela precisa voltar ao ambiente das escolas, como disciplina, para que a educação direcione nossas crianças para uma pedagogia do respeito ao outro.

Este ano é diferente de todos os outros, porque a sociedade está clamando por justiça, não deseja ser mais enganada pelas ´´velhas raposas que aí estão”. Vamos e temos que ser mais rigorosos, atentos as propostas e projetos dos candidatos. Vamos cobrar a conta agora, reivindicar melhores investimentos para a saúde, para a segurança, mas principalmente para a educação, porque ela bem estruturada pode salvar o nosso país, formando homens honestos e bem-intencionados, assim como aquele proprietário da padaria. Reage, Brasil!