FÓRMULA 1: Lewis Pentacampeão

29 de outubro de 2018
Junior Cardoso
por

Junior Cardoso tem 23 anos, é profissional da área gráfica e apaixonado por automobilismo. Desde 2016 é editor da página Falando de Motor no Facebook, a qual destina suas energias nas horas vagas.

É, amigos, estamos enxergando a história ser escrita! No futuro poderemos dizer que vimos Lewis Hamilton correr, com toda sua genialidade. Não nego que tenho muita admiração pelo inglês, Lewis é um fenômeno e têm provado isso corrida a corrida. Está no seu auge.

Hoje a corrida foi dominada por Max Verstappen, que aproveitou a força da Red Bull no México, tomou a dianteira logo na largada e não soltou mais. A partir dali e com um carro limitado devido ao grande desgaste de pneus, Hamilton sabia que teria apenas que completar a corrida, e o fez com maestria.

O melhor para Lewis, seria uma vitória em grande estilo para comemorar o título de uma forma mais festiva, porém, a comemoração do inglês ofuscou até a cerimônia do pódio.

Foi um fim de semana atípico para a Mercedes. O desempenho do W09 era bom, mas não foi páreo para os Red Bull. Mesmo assim, Hamilton e a equipe queriam o título no México e de dedicaram para isso acontecer. Seria uma tarefa tranquila, já que Lewis precisava apenas do sétimo lugar para ser campeão.

Lewis igualou-se ao grande piloto argentino, Juan Manuel Fangio com cinco títulos e dois atrás de Michael Schumacher. Este que talvez foi o mais difícil da carreira do inglês, já que Vettel e Ferrari se mostraram ser superiores, no início da temporada.

Na primeira corrida temporada, Ferrari e Mercedes estavam igualadas e os italianos foram melhores no desenvolvimento, proporcionando a Vettel um carro bem superior a partir do meio da temporada. A grande virada do campeonato foi no Grande Prêmio da Alemanha quando Hamilton partiu do fundão do grid para a vitória, enquanto Vettel encontrou-se com uma barreira de pneus.

Em Spa-Francorchamps a Ferrari deu sinal de que voltaria das férias com tudo e que seriam campeões, mas outra virada aconteceu em Monza, quando Hamilton buscou outra quase improvável vitória. A partir dali, Hamilton se fortaleceu e Vettel enfraqueceu.

Onde Hamilton se mostrou impecável, Vettel mergulhou de cabeça em um mar de erros, empurrando para o fundo desse mar, suas chances de ser pentacampeão. Chegando no México, se o alemão quisesse ainda lutar por uma pequena chance de título, teria que vencer e torcer para Hamilton chegar em pelo menos oitavo.

Em Hermanos Rodriguez, a história foi diferente. A Red Bull se mostrou muito eficiente na alta altitude da Cidade do México, fazendo a pole com Daniel Ricciardo e vencendo a corrida com Max Verstappen. Vitória que coloca Vertappen em uma posição confortável já que o holandês provou que pode andar muito bem na capital mexicana. É a quinta vitória na sua carreira, segunda este ano e segunda consecutiva no México. Mais uma vez, Max mostrou um piloto eficiente em conservar seus pneus.

Fernando Alonso no México

Na formula 1, tenho três pilotos qual tenho apreço: Lewis Hamilton, Daniel Ricciardo e Fernando Alonso. Enquanto o primeiro vive o melhor momento da sua carreira, Ricciardo e Alonso não podem desfrutar de tal conforto.

O australiano da Red Bull vem sofrendo com seu motor e teve que abandonar as duas últimas corridas com problemas em sua unidade de potência. Já Alonso sempre é vítima de algum incidente e acaba abandonando logo nas primeiras voltas. Que fase.

Agora a próxima corrida é em terras tupiniquins, mais precisamente em Interlagos, São Paulo no próximo dia 11. Vamos conversando até lá.