Fieg faz raio X sobre polo industrial de Catalão

Resultados do diagnóstico serão apresentados dia 6/12, paralelamente ao seminário Polo Industrial de Catalão – Perspectivas e Soluções, na Escola Senai do município

4 de dezembro de 2017
Foto: Google

Principal polo do Sudeste Goiano, Catalão tem localização geográfica estratégica, perto de grandes centros consumidores como Brasília, Goiânia e Triângulo Mineiro, contando com boa infraestrutura de transportes, baseada principalmente nas rodovias BR-352, GO-020 e GO-330, além da Ferrovia Centro-Atlântica. Sua economia é bem diversificada, com a produção de grãos e criação de aves em crescimento, agroindústria forte, indústrias automobilística e minero-química consolidadas e um comércio dinâmico.

Quarto município mais competitivo de Goiás, Catalão é alvo de amplo e inédito estudo da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg) sobre polos industriais, que será lançado na Escola Senai do município, dia 6 de dezembro. Segundo o presidente da Fieg, Pedro Alves de Oliveira, o estudo Polos Industrias de Goiás – Catalão fez um completo diagnóstico desse concentrado industrial, visando identificar vocações regionais, oportunidades de expansão dos negócios e gargalos para o desenvolvimento, no sentido de contribuir para uma política industrial estadual eficiente. “O diagnóstico busca mapear as principais características e identificar as necessidades”, afirma.

Por se tratar de um material detalhado, o estudo levanta questões estratégicas relevantes para a indústria, como características do polo industrial, planos de investimentos, situação e perspectivas da gestão de recursos humanos nas empresas, comercialização (compra e venda), transportes, meio ambiente, suprimento de energia, problemas que dificultam o desenvolvimento das atividades industriais na região e identificação das ações necessárias para equacionar as dificuldades diagnosticadas. O objetivo é oferecer subsídios para o estabelecimento de políticas públicas de apoio às indústrias e para o equacionamento dos problemas identificados como fatores dificultadores da competitividade das empresas goianas, os quais enfraquecem os polos e distritos industriais.

SOBRE A PESQUISA

O estudo em Catalão foi realizado em três etapas, iniciando-se com a caracterização geral do polo, por meio de coleta de informações secundárias, disponíveis em fontes oficiais, além de outras duas pesquisas primárias, uma delas qualitativa, em que foram realizadas entrevistas individuais e grupos focais (workshop) com presidentes de sindicatos e empresários. Esta etapa subsidiou a realização da pesquisa quantitativa, que abordou aspectos como perfil das empresas, recursos humanos, comercialização, meio ambiente, entre outros.

O estudo contempla 58 empresas, das quais 45 instaladas no Distrito Mineroindustrial de Catalão (Dimic) e em 13 outros pontos da cidade, incluindo três mineradoras e dez empresas de setores diversos considerados relevantes para a região.

Para o lançamento do estudo, no dia 6 de dezembro, em Catalão, foram convidadas autoridades e instituições, como Anac, Anatel, Celg, Codego, Fimtpoder, Prefeitura de Catalão, Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária, entre outros, que poderão contribuir para a solução das demandas colocadas.

Fonte: FIEG