Sidebar

24
setembro domingo

Entrevista – Dr Paulo Daher (Democratas)

“Para mudar a política nós temos que ter pessoas novas, com um outro cárater”

Um médico que decide dedicar seu tempo e sua energia para ajudar mulheres carentes a ter uma saúde melhor. Essa foi a missão que surgiu para o médico ginecologista/obstetra Paulo Daher. Cansado de ver pessoas jogadas a própria sorte o médico começou a atender pessoas carentes em seu consultório, e viu a demanda crescer tanto que acabou criando um mutirão organizados por voluntários. Hoje, os mutirões do Dr Paulo chega a entender 600 mulheres por mês e foi com o ímpeto de poder ajudar mais que o médico – que nunca havia exercício cargo público na vida – se candidatou a vereador por Goiânia pelo Democratas e hoje é uma das novas caras do legislativo goianiense. Como outsider, Dr Paulo não fala como político, responde como se estivesse apenas papeando com alguém, ainda fala em primeira pessoa e diz estar um pouco frustrado por ainda ter de esperar para ver as coisas acontecerem.

Como a política surgiu na sua vida?

Eu comecei através de um atendimento social que surgiu diante de uma vontade minha de poder atender aquelas pessoas que me procuravam e estavam contando apenas com o sistema público de saúde. Estavam desassistidas. O paciente não conseguia marcar uma consulta, não conseguia fazer um exame de prevenção, uma mamografia. Então eu sensibilizei com essa causa e ia atendendo no meu consultório na medida que eu ia conseguindo. Conciliando com a minha atividade que era o atendimento no consultório - eu vivo da medicina - eu atendia esses pacientes, eles iam falando com outros pacientes e foi aumentando. Ai eu tive a ideia de fazer mutirões. Eu consegui um espaço dentro de um hospital particular e fui desenvolvendo essa ação social. E junto com a demanda de pacientes que aumentou muito, vieram os voluntários. Isso me possibilitou atender mais pacientes. Chegamos a fazer mais três mutirões por mês com mais de 150 pacientes cada.

Esse trabalho teve algum dinheiro público?

Era um trabalho feito com voluntários. Nunca teve dinheiro público.  Eles me ajudavam. 

E foi aí que o sr decidiu se candidatar?

Aí dentro desse trabalho social, nos últimos anos as pessoas ficavam comentando comigo: "Dr Paulo, por que o Sr não se candidata?", e eu no começo fui resistente, porque a imagem dos políticos está comprometida. Mas, no decorrer do tempo, eu fui entendendo - e os voluntários me ajudaram a amadurecer essa ideia - que para mudar a política nós temos que ter pessoas novas, com outro perfil, com caráter diferente, e isso me encorajou.

O sr já era filiado ao Democratas?

Eu sempre tive uma ligação grande com o partido Democratas. O meu tio trabalhou muito com o Senador Ronaldo Caiado, meu tio era médico ortopedista, e eles fundaram lá atrás a COT, a UDR, e eu sempre admirei muito a postura dele. Sou filiado ao partido há muitos anos. Aí quando surgiu a ideia eu não tive dúvida em procurá-lo [ao Ronaldo Caiado] e perguntar o que ele achava. Ele achou a ideia muito boa e me incentivou.

Como o sr vê a saúde hoje em Goiânia?

Abandonada. Está um caos. A saúde pública que já estava abandonada que já era ruim, hoje está pior. As pessoas estão morrendo. O prefeito não fez nada pela saúde. Porque se ele tivesse feito algo pela saúde, eu não estaria atendendo 600 pacientes por mês que iam no mutirão me pedir socorro, entende?

O que o sr acha do ex-prefeito Paulo Garcia?

O prefeito Paulo Garcia conduziu muito mal nossa cidade. A cidade ficou abandonada, os servidores viraram o ano sem receber. O novo prefeito pegou as contas da prefeituras toda abandonada.

O Sra como único médico dessa legislatura, já tem algum projeto nessa área?

Eu faço parte da Comissão da Saúde, sou o presidente, e já estou analisando todos os projetos que estão em tramitação para já poder o mais rápido possível tentar tirar a saúde disso aí. Tem um projeto muito bom que está parado na casa que é o projeto do vereador Elias Vaz que ele determina um prazo mínimo para consulta médica (15 dias), para cirurgia eletiva (60 dias) que é para agilizar o atendimento. O projeto está parado, mas vou colocar em pauta no dia primeiro.

O sr é da bancada do prefeito Iris Rezende, como é sua relação com o prefeito?

Eu estive com o prefeito Iris Rezende em todos os momentos. Antes mesmo dele ser candidato eu estive lá com ele pedindo para que ele fosse o candidato porque a cidade precisava de um gestor capaz. Eu lutei com ele na campanha em todos os turnos. Ele saiu vitorioso e para mim foi uma vitória também. O dr Iris já tem mostrado que tem essa capacidade. 

E como tem sido esses primeiros dias de trabalho?

A princípio eu estou um pouco desapontado. Porque eu achava que eu ia chegar aqui e já ia começar a trabalhar, foi uma coisa que é passageiro, porque eu passei por isso na faculdade de medicina eu achei no primeiro dia de aula que ia chegar lá e já ia fazer uma sutura, já fosse trabalhar com paciente. Acho que assim será assim também. A minha vontade já era está participando dos mutirões e fazendo e acontecendo. Mais sobre o vereador poderá ser lido em seu site: drpaulodaher.com.br