Sidebar

24
setembro domingo

Aulas começam na próxima segunda-feira, 18, e são gratuitas. Alunos podem aprender desde digitação até como usar redes sociais

As inscrições para o curso de informática básica da Associação de Trabalho e Produção Solidária de Saúde Mental, o Gerarte I, estão abertas. As aulas começam na próxima segunda-feira, 18, e serão distribuídas em cinco turmas durante os turnos matutino e vespertino. O curso, que é gratuito, tem vagas limitadas e é destinado a adolescentes, adultos e idosos de Goiânia. 

Com duração de cerca de dois meses, o conteúdo da aulas abrange Introdução à Informática, Word, Excel, Power Point e Internet. Os interessados podem ir até a unidade, localizada no Setor Marista, com os documentos pessoais, ou ligar para fazer a inscrição por meio do telefone 3524-1523. 'A presença na primeira aula é o que garante efetivamente a matrícula no curso', alerta a assistente social da Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia, Rubia Rodrigues.

O Gerarte I é uma associação que faz parte da rede municipal de saúde da Prefeitura de Goiânia e tem como objetivo a inclusão social pelo trabalho e geração de renda junto a usuários de saúde mental, familiares e uma equipe multiprofissional. 



SERVIÇO: 

Assunto: Inscrições para o curso de Informática do Gerarte I 
Início das aulas: Segunda-feira, 18 de setembro Horários: das 8h00 às 9:30h ou das 9h30 às 11h às segundas, terças, quartas e quintas-feiras; e das 13:30h às 15h00 às segundas e quartas-feiras
Local: Gerarte I 
Endereço: Rua 24, Qd. H-11, Lote 7, Setor Marista, Goiânia-GO. (Próximo ao Instituto do Sono) 
Informações: (62) 3524-1523 

Como resultado de articulação do Ministério Público de Goiás, o Ministério Público de Contas de Goiás (MPC-GO) ofereceu, junto ao Tribunal de Contas dos Municípios de Goiás (TCM-GO), representação requerendo a fiscalização de 62 municípios goianos que ainda não possuem Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB), instrumento que estabelece, por gestão participativa, diretrizes para a prestação dos serviços públicos de saneamento.
Em abril deste ano, a Saneago encaminhou ao Centro de Apoio Operacional (CAO) do Consumidor do MP-GO um ofício contendo uma série de informações, entre elas uma lista com várias cidades goianas (confira abaixo) que ainda não possuem o PMSB. Diante disso, o coordenador do CAO Consumidor, Rômulo Corrêa de Paula, considerando ser atribuição do TCM orientar os gestores municipais quanto a elaboração do plano, enviou ofício (clique aqui) ao MPC-GO, com a finalidade de auxiliar o órgão na fiscalização dos municípios.
Ao receber o documento, o Ministério Público de Contas, por meio do procurador de Contas Regis Gonçalves Leite, ofereceu representação ao TCM pedindo a fiscalização das cidades listadas pela Saneago e exigindo justificativas por parte das administrações municipais pela não elaboração do PMSB. Foi requisitado ainda que o órgão encaminhe recomendação a esses municípios para que adotem as medidas necessárias para a confecção do plano.
Na representação (clique aqui), o procurador ressalta que na Lei Federal nº 11.445/2007, que prescreve diretrizes nacionais para o saneamento no País, define que, após 31 de dezembro de 2017, a existência do PMSB será uma exigência para ter acesso a recursos da União ou de financiamentos geridos ou administrados por órgãos de administração pública federal. Sendo assim, os municípios que não elaborarem o plano terão prejuízos relacionados à regularidade formal de contratos de prestação de serviços de saneamento básico.

Municípios 
De acordo com a Saneago, até abril de 2017, os seguintes municípios ainda não tinham elaborado o Plano Municipal de Saneamento Básico: Água Limpa, Aloândia, Alto Horizonte, Amaralina, Anhanguera, Aruanã, Baliza, Bela Vista de Goiás, Bom Jesus, Bonfinópolis, Bonópolis, Cabeceiras, Caçu, Caiapônia, Campo Alegre de Goiás, Campo Limpo de Goiás, Castelândia, Caturaí, Cavalcante, Corumbaíba, Cristalina, Damianópolis, Estrela do Norte, Formosa, Gameleira de Goiás, Goianápolis, Goiânia, Goiatuba, Guapó, Iaciara, Inaciolândia, Iporá, Itaguari, Itapuranga, Itarumã, Itauçu, Joviânia, Leopoldo de Bulhões, Mara Rosa, Mimoso de Goiás, Novo Brasil, Novo Gama, Orizona, Ouvidor, Palmeiras de Goiás, Palminópolis, Petrolina de Goiás, Pirenópolis, Posse, Rialma, Rubiataba, Santa Fé de Goiás, Santa Helena de Goiás, Santo Antônio da Barra, São Luiz do Norte, Silvânia, Sítio da Abadia, Terezópolis de Goiás, Turvelândia, Uruaçu, Varjão, e Vila Boa.

(Texto: Assessoria de Comunicação Social do MP-GO)

A Polícia Federal (PF) prendeu preventivamente o diretor-presidente da JBS, Wesley Batista, na manhã de hoje (13) na capital paulista. Além da prisão, foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão e um mandado de prisão preventiva de outro dirigente da empresa, cujo nome ainda não foi confirmado.

As ações fazem parte da 2ª fase da Operação Tendão de Aquiles. Os mandados foram expedidos pela 6ª Vara Criminal Federal de São Paulo, a pedido da PF, que investiga o uso indevido de informações privilegiadas em transações no mercado financeiro entre 24 de abril e 17 de maio deste ano. Nesse período, foram divulgadas informações relacionadas a acordo de colaboração premiada firmado com a Procuradoria-Geral da República.

A investigação apura ordens de venda de ações de emissão da JBS S/A na Bolsa de Valores pela empresa controladora, a FB Participações S/A, e a compra dessas ações em mercado, por parte da empresa JBS S/A. Com as irregularidades, o mercado era manipulado, fazendo com que os acionistas absorvessem parte do prejuízo gerado pela baixa das ações.

Outra situação foi a intensa compra de contratos de derivativos de dólares pela JBS S/A, em desacordo com a movimentação usual da empresa, que se favoreceu com a alta da moeda norte-americana após o dia 17.

Os suspeitos poderão responder por crime de uso de informação relevante, ainda não divulgada ao mercado, para propiciar vantagem indevida com valores mobiliários. As penas variam de um a cinco anos de prisão e multa de até três vezes o valor da vantagem ilícita obtida.


A retomada das obras de construção da nova sede da Assembleia Legislativa de Goiás foi o tema principal da reunião entre o governador em exercício, deputado estadual José Vitti, e o prefeito de Goiânia, Iris Rezende, no final da manhã de  ontem  (12). Acompanhado de alguns parlamentares e assessores da área técnica, Vitti foi recebido pelo prefeito e o secretariado por mais de uma hora, no Paço Municipal.

O reinício das obras depende da abertura de uma rua paralela à nova sede. Segundo Vitti, o prefeito respondeu positivamente ao pedido determinando à sua assessoria que adotasse providências imediatas para destravar a obra. “Nós já determinamos - respondeu o prefeito - que seja cumprida imediatamente a determinação de abrir essa rua”.

“Fomos bem recebidos pelo prefeito e por todo o seu secretariado. Saímos daqui muito satisfeitos com o carinho e a atenção dispensados pelo prefeito Iris ao governo de Goiás”, comentou o governador em exercício.

Quanto ao andamento das obras, disse que desde que assumiu a presidência da Alego tem tomado uma série de medidas para que a nova sede ganhe mais investimentos. “Estamos na fase de preparar novos projetos para que possamos colocar a obra em licitação. Acreditamos que até maio do ano que vem tenhamos condições de retomar a construção”, previu.

 

Neste 13 de setembro, quando completa 30 anos da tragédia com o Césio 137, o deputado Marlúcio Pereira (PSB) prepara dois importantes requerimentos que serão apresentados na Assembleia Legislativa. O primeiro solicita que o governador Marconi Perillo (PSDB) reajuste a pensão paga as vítimas de acordo com o aumento anual do salário mínimo. O valor está congelado em R$ 778 desde 2015. Já o segundo pede o pagamento retroativo de pensão acumulado no decorrer dos anos aos ex-servidores do extinto Crisa, que atuaram no caso na época.
  O deputado lembra que o objetivo das duas proposituras é justamente reconhecer o trabalho daqueles que foram atingidos e dos que atuaram para salvar vidas e evitar uma tragédia ainda maior. "São pessoas que ajudaram a escrever esta história triste, mas que merecem ser reconhecidas e terem seus direitos preservados. Aqui na Assembleia faremos o possível para defendê-los" garante o deputado.
30 anos da tragédia
  Há exatos 30 anos, Goiânia era atingida por aquele que é considerado o maior acidente radiológico do mundo. A tragédia envolvendo o césio-137 deixou centenas de pessoas mortas contaminadas pelo elemento e outras tantas com sequelas irreversíveis.
  No âmbito radioativo, o Césio 137 só não foi maior que o acidente na usina nuclear de Chernobyl, em 1986, na Ucrânia, segundo a Comissão Nacional de Energia Nuclear (Cnen). O incidente teve início depois que dois jovens catadores de papel encontraram e abriram um aparelho contendo o elemento radioativo. A peça foi achada em um prédio abandonado, onde funcionava uma clínica desativada. 

Aprovada pela Câmara e já sancionada pelo prefeito Iris Rezende, matéria de iniciativa do vereador Lucas Kitão (PSL) institui a “Semana Municipal de Inovação e Sustentabilidade Urbana”. A Lei nº 10.071 de 25/08 de 2017 prevê a realização, nas escolas da rede municipal de educação, de eventos como palestras, cursos, audiências, seminários, feiras de ciência e outros meios educativos e informativos, visando a reflexão sobre a relação entre inovação e sustentabilidade.

As ações educativas deverão ser desenvolvidas por meio da colaboração entre órgãos do Poder Público Municipal e a sociedade civil organizada. A data deverá constar no calendário Oficial de Datas e Eventos do Município e será celebrada anualmente na semana que compreender o dia 19 de Outubro, dia Nacional da Inovação (Lei Federal nº 12.193/2010).

Entre os argumentos elencados por Kitão  está  a de que “a escola é o ambiente de reflexão e,  a educação baseada em princípios sustentáveis e na busca pela inovação é um caminho eficaz para a formação de adultos com responsabilidade socioambiental.

“A finalidade da nossa lei é possibilitar à comunidade escolar, um momento para refletir sobre aspectos do seu cotidiano e permitir que os estudantes possam pensar e sugerir iniciativas que visem um melhor ordenamento da cidade, com destaque para a qualidade de vida de sua população”, avalia o vereador. 

Sol forte, grande público e grandes disputas marcaram mais uma etapa do Campeonato Goiano de Motocross, dessa vez a cidade escolhida foi Ceres, que fica aproximadamente 180km da capital Goiania.

Depois de alguns anos sem receber nenhum evento do tipo, a cidade recebeu o Motocross de braços abertos, a prefeitura em parceria com a FMG, não mediram esforços e organizaram uma bela festa. 
 O palco foi uma pista bastante divertida e segura, característica principal do Campeonato Goiano de Motocross, onde os pilotos se divertem com toda a segurança, desde as crianças da 50cc, até os mais experientes da MX1.
No sábado rolaram os treinos cronometrados de todas as categorias em disputa, e no final da tarde rolaram duas provas, foram elas, MX Nacional e MXF.

Na MXF, Bia Gomes largou na frente e abriu boa vantagem das demais concorrentes, porém uma forte queda lhe tirou da disputa, sendo assim, Sarah Raquel, mais uma vez nessa temporada, assumiu a liderança e faturou a corrida, na MX Nacional melhor para Gabriel Araujo, que fez uma prova consistente até a bandeirada final.

No domingo, foram disputadas o restante das baterias, dez, ao todo.
Na principal categoria em disputa, a MX1, destaque mais uma vez para o piloto Honda Mobil, Hector Assunção, que faturou as duas baterias sem maiores problemas.
 
Mateus Klysman que vem em constante evolução repetiu o excelente resultado da etapa passada, venceu a MX2 e conquistou a segunda colocação na MX1.
Lucas Frazão após um tombo forte nos treinos de sábado, foi para o gate no domingo com dores no tornozelo, mesmo assim conquistou bons resultados, sendo eles, segunda colocação na MX2 e terceira colocação na MX1.
 
Destaque também para PV Cunha que agitou a galera com seus whips e foi o piloto mais querido pela torcida da cidade de Ceres.
Nas categorias amadoras, Felipe Bonfatti venceu a Estreante e assumiu a liderança isolada no Campeonato, na MX4 João Batista não deu chance aos adversários, com uma tocada forte e segura para cruzar a linha de chegada na primeira colocação e fazer a festa.

Na MX3 Claudner Rocha até sofreu uma pressão dos advserários, mas ainda assim, segurou a primeira posição com até a linha de chegada, vitória muito comemorada com o público. Na intermediária Kevin Zanini sofreu um tombo muito forte nos cronometrados de sábado, mesmo assim alinhou no gate no dia seguinte, fez boa largada e garantiu a vitória e assegurou a liderança do campeonato.
 
Nas categorias de base, Athos Paulo e Gustavo Maurício protagonizaram uma disputa acirrada do inicio ao fim, foi uma corrida eletrizante que levantou o público presente, Athos, cruzou a linha de chegada com uma pequena vantagem, mas o suficiente para garantir mais uma vitória no campeonato.
 
Na 65cc Alexandre Galdino mais uma vez foi imbatível, apesar de sofrer pressão de Gregory Motta, Alexandre manteve seu ritmo forte até a bandeirada.
 
Na MXJR Rodolfo Bicalho levou a melhor, Kevin William, seu principal concorrente, atacou faltando duas voltas e chegou bem próximo, mas nada que tirasse a vitória de Rodolfo. Após vir de bons resultados nas categorias MXJR, Intermediária e MX2, o piloto paulista fez sua estréia na MX1, o garoto de apenas 13 anos, entrou na disputa com os melhores pilotos do campeonato, onde conseguiu a oitava colocação na geral, mesmo sem correr na segunda bateria, ótimo resultado para um garoto de 13 anos em meio as feras do Motocross.
 
Para conferir todos os resultados e a classificação do campeonato, entre no site da federação: www.fmg.com.br.
 
A prova com realização da Prefeitura Municipal terá a supervisão da Federação de Motociclismo de Goiás e organização do Moto Clube GP. O apoio desta prova foi de Magril/Honda, Pneus Rinaldi, IMS Racing, Circuit, Mobil, Avant Motos/Kawasaki, Protork, Rapozão Racing, Cleidmar Racing, Moto Livre Shop, Fink Sistemas Automotivos, Vulcano, Stocovich, Morais Troféus, Goiás Tendas, Pax Ceres, Ponto Extra Bebidas e Conveniência, Proesporte, Seduce e Governo de Goiás. Cobertura Oficial do site Show Radical.

A Escola Superior do Ministério Público de Goiás (ESMP) dará início nesta semana ao ciclo de palestras institucionais do segundo semestre de 2017 para acadêmicos em Direito. Pelo programa desenvolvido pela ESMP, promotores de Justiça convidados conduzem os encontros com os estudantes, no auditório do edifício-sede do MP, em Goiânia, e nas instituições de ensino conveniadas, incluindo algumas no interior do Estado, atendendo às solicitações feitas pelos cursos de Direito.

O programa tem por objetivo apresentar aos alunos a estrutura organizacional do MP e compartilhar experiências sobre a atuação, aproximando a instituição da comunidade acadêmica. Nas exposições, os palestrantes também orientam os estudantes sobre a importância do estudo e sobre o ingresso na carreira do Ministério Público.

As palestras acontecem em formato de bate-papo, com espaço para a participação dos alunos e dos professores que os acompanham. O primeiro encontro do semestre será realizado nesta quinta-feira (14/9), a partir das 15 horas, no auditório do edifício-sede, com palestra ministrada pelo coordenador do Centro de Apoio Operacional Criminal, promotor Luciano Miranda Meireles, para acadêmicos da Fanap e do Centro Universitário de Goiás (Uni-Anhanguera).

No dia 19 de outubro, a exposição para os alunos da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás) será apresentada pelo promotor Danni Sales Silva, no auditório da PUC (confira aqui a programação).

(Texto: Assessoria de Comunicação Social do MP-GO )

Rock, MPB, Rap e Pop se unem de uma só vez no caldeirão musical da 16ª edição do Festival Vaca Amarela. Realizado em diferentes espaços noturnos de Goiânia e, no final de semana, no Palácio da Música do Centro Cultural Oscar Niemeyer (CCON), o festival acontece entre os dias 18 e 24 de setembro e abarca uma extensa programação. Considerado um dos grandes eventos de música do Centro-Oeste e já no circuito de festivais brasileiros, o Vaca Amarela é realizado anualmente pela Fósforo Cultural. Os ingressos do segundo lote 2 estão à venda até a sexta-feira, 15 de setembro.
Discussões sobre produção autoral, discursos de ódio, debates sobre sexualidade e gênero, o papel da mulher na produção musical e diversidade de gêneros serão debatidos no Vaca Amarela deste ano. Nomes como Curumin, que recentemente lançou o elogiado disco Boca, ou grupos como Djonga, Hell Oh! E Deb and the Mentals, dividem o palco com a sensação do momento Pablo Vittar, as brasilienses do Sapabonde ou as efervescentes Linn da Quebrada e MC Carol.
Como uma janela para a apresentação de grupos regionais, o festival ainda promove shows das pratas da casa Ara Macao, Niela, Chell, Carne Doce, Bruna Mendez, Overfuzz, Lutre, Sótão, Frieza, entre outros. “O Vaca é resistência, ocupação, provocador. Não poderia ser diferente esse ano. Estamos bem seguros do nosso conceito, da proposta e da curadoria”, aponta o coordenador do festival, o produtor João Lucas Ribeiro.
“Nossa intenção é levar shows de artistas expoentes da música jovem independente produzida no Brasil, concentrando sua atenção na produção musical realizada distante dos centros econômicos do País e ainda assim totalmente urbana em sua essência", explica o produtor Leo Pinheiro.
Vaca aos 16
Rainha do rock dos festivais de música de Goiânia, o Vaca Amarela acontece interruptamente há 16 anos, como uma janela expoente para a produção musical, intercâmbio entre artistas, promoção e profissionalização cultural. O festival é promovido pela Fósforo Cultural, que há 11 anos promove de forma consciência e coletiva e se divide em ações de fomento e fruição de bens culturais, seja na produção de festivais de música, como o Vaca Amarela e o Grito Rock, seja na propagação e articulação de bandas regionais.
ANOTE
PROGRAMAÇÃO
SEGUNDA-FEIRA (18 de Setembro)
Centro Cultural UFG
Endereço: Av. Universitária, nº 1.533 - Setor Leste Universitário
Abertura do 16º Festival Vaca Amarela
Especial LA BOMBA LATINA - Primeiro show da terceira temporada da série de música que faz intercâmbio entre artistas da América Latina.
Shows:
Max Capote (URU)  e Muntchako
Horário: 20 horas
Entrada Livre
 
TERÇA-FEIRA (19 de Setembro)
IMERSE
Endereço: Rua 115 nº 488, Q F36, L62 - St. Sul
Programação de música eletrônica
Horário: 21 horas
Entrada: R$15
QUARTA FEIRA (20 de Setembro)
HERMETO BAR
Endereço: R. T-30, nº 2655 - St. Bueno
Show com: Daniel Belleza acompanhado de Eristhal Luz
Horário: 20 horas
Entrada Livre
 
After:
Karaoke especial na ROXY GOIÂNIA
Endereço: R. 87, nº 536, Setor Sul
Horário: 23 horas
Entrada: 15 a 20 reais
 
QUINTA-FEIRA (21 de Setembro)
COMPLEXO PUB
Endereço: Rua 7, nº 475 - Centro
Showcase MILO RECS
Show:
Components
Caffeine Lullabies
Cat Vids(SP)
Discotecagem: Bruna Mendez e Clenon Ferreira
 
REPÚBLICA UNDERGROUND MUSIC (RUM) convida INFERNO CLUB
Endereço: Alameda Botafogo, nº 416 - St. Central
Shows:
Corazones Muertos (ARG/SP)
Mellow Buzzards
Templates
Molbones
Discotecagem: Johnny Suxxx e Leo Rockefeller
 
 
SEXTA-FEIRA (22 de setembro)
Centro Cultural Oscar Niemeyer
01:00 Pabllo Vittar (MA)
00:00 Carne Doce
23:00 Sapabonde(DF)
22:00 Bruna Mendez
21: 00 Deb and the Mentals(SP)
20:30 Niela
20:00 Chell
 
SÁBADO (23 de setembro)
Centro Cultural Oscar Niemeyer
01:00 MC Carol (RJ)
00:00 Curumin (SP)
23:00 Ara Macao
22:00 Linn da Quebrada (SP)
21:00 Djonga(BH)
19:45 Overfuzz
19:00 Hell Oh! (RJ)
18:15 Branda
17:30 Lutre
16:45 Sótão
16:00 Sixxen
 
DOMINGO (24 de setembro)
30 anos do césio - REPÚBLICA UNDERGROUND MUSIC (RUM)
Endereço: Alameda Botafogo, nº 416 - St. Central.
Shows:
Punch
HC 137
Frieza
Lobinho e os 3 porcão
Adax
 
Horário: 16 horas
Entrada: R$15
 
MIGS ESPECIAL VACA AMARELA - ROXY GOIÂNIA
Endereço: R. 87, nº 536, Setor Sul
Show:
Aretuza Lovi
Dj: Lipy. B.
Horário: 21 horas
Entrada: R$20
 
SERVIÇO
Festival Vaca Amarela
Data: 18 a 24 de setembro
Local: casas noturnas e Centro Cultural Oscar Niemeyer
Ingressos: www.sympla.com.br/vacaamarela
Entrada de menores de idade apenas acompanhados dos pais

Representantes de vários seguimentos discutiram na tarde de ontem 11/09  no Auditório Solon Amaral da Assembleia Legislativa o projeto de lei nº 367/17 de autoria do deputado estadual Santana Gomes (PSL), que também é presidente da Comissão de Defesa do Consumidor da Alego. A propositura de iniciativa do parlamentar pretende conceder isenção de até 50% do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) às empresas que investirem na aquisição e instalação de equipamentos de vigilância privada.

O artigo 2º do projeto de lei prevê que os gastos com segurança privada para fins de redução do ICMS não são cumulativos, não podendo ser utilizados em meses subsequentes. O artigo 3º diz que a declaração de informações falsas e utilização de custos inexistentes importará à empresa beneficiária a exigência de recolhimento integral do imposto, além de multa de 100% sobre o imposto devido. O desconto do imposto será concedido aos estabelecimentos que são optantes do regime de tributação pelo lucro presumido ou pelo lucro real.

De acordo com Santana Gomes, o projeto de lei tem a intenção de fomentar a economia goiana, ampliar a oferta de emprego e ao mesmo tempo proporcionar maior segurança à população. “Queremos estimular a contratação das empresas privadas de segurança. Acreditamos que nos locais onde existe segurança privada os números de violência e criminalidade são menores do que aqueles desprovidos desse serviço”, destaca o parlamentar. O deputado acrescenta que a redução do recolhimento do ICMS, que a princípio pode representar perda de receita, na verdade, segundo ele, poderá refletir em aumento de consumo e, portanto, em aumento de arrecadação.

Para discutir o projeto, Santana Gomes convidou integrantes da Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP), do Sindicato do Comércio Varejista no Estado de Goiás (Sindilojas), de associações comerciais e de empresas do mercado de segurança privada.

O presidente do Sindilojas, José Carlos de Palma Ribeiro, elogiou a proposta do projeto. “Toda iniciativa que você faz em parceria, ela traz um benefício maior. Você soma forças. Com certeza vai colaborar bastante”, destacou.

O presidente da Associação Comercial e Industrial da Avenida Bernardo Sayão, Cairo Myron Ramos, também participou da audiência pública. Ele defendeu o projeto e argumentou que o investimento em segurança privada e parcerias com os órgãos da segurança pública são o melhor caminho para a prevenção e combate à criminalidade. O presidente da Acibs defende uma isenção de 100% do ICMS na aquisição de equipamentos ou na contratação de serviços para melhorar a segurança patrimonial. “A Bernardo Sayão foi a primeira avenida a ter monitoramento eletrônico 24 horas por dia. Com a PM e os grupos de WhatsApp, a criminalidade caiu 95%. Precisamos incentivar isso em toda a cidade”, reconheceu.

O projeto de lei estabelece uma vigência de dois anos, a partir de sua entrada em vigor, para a concessão da redução da alíquota do ICMS em 50%, podendo ser prorrogado sucessivamente por igual período por ato do Chefe do Poder Executivo. A propositura foi aprovada preliminarmente na sessão plenária do dia 29 de agosto e encaminhada à Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ), onde aguarda parecer pela aprovação ou rejeição

Organizado pela deputada estadual Eliane Pinheiro (PMN), foi aberto na noite desta segunda-feira o 1.º Festival da Cachaça de Orizona, que acontece entre os dias 14 e 16 de setembro, em meio à comemoração dos 167 anos do município. A solenidade aconteceu no Palácio das Esmeraldas, com a presença do governador em exercício, José Vitti (PSDB). A cachaça é o produto mais famoso do Orizona, mas ainda é refém de processos de produção artesanais, que fazem com que a fabricação continue muito aquém do potencial da cidade. 

Para montar o Festival, Eliane buscou apoio do Sebrae e da Goiás Turismo. A proposta é profissionalizar os alambiques locais e transformar a bebida em mais uma vitrine para turistas. A deputada afirma que o circuito, além de gerar receita, vai estimular a saída do mercado informal com a criação de um selo de qualidade. A formalização, por sua vez, criará mais empregos. “Um alambique que produz 30 mil litros por ano hoje emprega, em média, quatro pessoas. Em pouco tempo a gente consegue elevar a produção de cada uma destas ‘empresas’ para 70 mil, pelo menos”, diz Eliane.

Localizada na região oeste do Estado, Orizona é berço de cachaças famosas já extintas como Marçalina e Dito Pedro. Muitos dos pioneiros que ajudaram a fundar o município, no início dos anos 1700 (ainda com o nome de Campo Formoso), eram produtores foragidos que haviam participado da Revolta da Cachaça, em Minas e Rio de Janeiro, contra o Fisco português. 

O prefeito de Orizona, Joaquim Marçal (PSDB), vê o circuito como oportunidade para resgatar a história da cidade, mas além disso melhorar a receita da prefeitura, que passa por dificuldades. “Já tivemos aqui cerca de 70 alambiques. Hoje são uns 25, poucos são legalizados. A maioria está na ilegalidade. Queremos que sejam os melhores do Brasil”, afirma. 

PROGRAMAÇÃO
O Festival começa no dia 14 de setembro e vai até o dia 16, sábado. Além de shows e da apresentação da banda da Polícia Militar, no primeiro dia haverá também palestra com representantes do Sebrae sobre a necessidade de se profissionalizar a produção da cachaça no município. No dia seguinte serão três palestras com representantes do Sebrae, todas elas no Sindicato Rural. Está prevista a abertura de estandes com exposição de artesanato local, exibições de dança, coral, e o mais importante: oficinas para ajudar os produtores de cachaça local a otimizarem a fabricação e venda dos seus produtos. 

No sábado, último dia do evento, haverá oficinas de artesanato (pintura e dança), recital de poesia, apresentação de Folia de Reis, quadrilha, show de talentos para apresentadores locais, estandes com comidas feitas a partir de receitas típicas, uma sessão solene na Câmara Municipal e um evento com a presença do governador Marconi Perillo (PSDB). O encerramento acontece com um show do cantor Gabriel Abreu.

O presidente da Câmara Municipal, Vereador Andrey Azeredo (PMDB), esteve, na tarde de ontem 11/09, na reunião da equipe revisora do Plano Diretor de Goiânia (PDG) que apresentou os temas que serão abordados nas próximas audiências públicas sobre o  documento. O encontro aconteceu no auditório da Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Habitação (Seplanh), pasta que coordena os trabalhos revisores. 

      Os vereadores Sabrina Garcez (PMB), Lucas Kitão (PSL) e Gustavo Cruvinel (PV)  participaram da reunião, que envolveu também profissionais de secretarias municipais como a Casa Civil, Procuradoria e Cultura. Estão previstas três audiências públicas denominadas "Goiânia do Futuro", no formato de oficinas com três dias de duração, cada uma, com atividades da manhã à noite, a serem realizadas até o fim do ano.  

      Andrey Azeredo e Sabrina Garcêz sugeriram a realização de mais audiências complementares, em parceria com a Câmara e com o apoio da equipe da Seplanh, para tirar dúvidas e debater com os parlamentares e a população. "Quanto mais pudermos discutir o Plano, melhor será. A equipe revisora é solícita e tem se desdobrado para atender a todos, mas há pontos que precisam ser discutidos exaustivamente com nós, vereadores, e com a sociedade em geral. Dessa maneira, profundamente esmiuçado, o projeto terá mais densidade quando for enviado à Câmara para a análise final", argumentou Andrey. 

      Momento único 

      Na visão do presidente Andrey, "esse é um momento único, a oportunidade de revisar o Plano que vai organizar e direcionar a Capital para um futuro de desenvolvimento democrático e planejado. O mundo inteiro está planejando as cidades com base na mobilidade e eu pergunto: temos um plano de desenvolvimento? E de transportes? O município vai intervir ou Goiânia continuará vendo crescer seu entorno desproporcionalmente?". Ele solicitou, ainda, que a linguagem usada no texto do projeto seja uniforme, clara e dentro dos padrões federais e da legislação específica para evitar possíveis conflitos de interpretação futuros.  

       As audiências serão organizadas em 5 eixos subdivididos em temas de grande relevância. No eixo socioambiental serão debatidos saneamento, áreas protegidas, gestão ambiental, poluição e mudanças climáticas. No eixo de 
ordenamento territorial serão tratados o perímetro urbano, a unidade territorial, o parcelamento do solo, os instrumentos urbanísticos e os vazios urbanos. Em mobilidade, acessibilidade e transporte serão analisados o planejamento e a adequação da rede viária básica, o transporte coletivo, o gerenciamento do trânsito e a acessibilidade universal. 

      Já no eixo de desenvolvimento serão debatidos o estímulo às atividades econômicas, o desestímulo às atividades informais, a base arrecadatória do município, o turismo e as atividades agropecuárias. E na área sociocultural os temas serão desenvolvimento social, promoção da moradia, equipamentos comunitários e segurança publica municipal. E no eixo de gestão urbana serão discutidos a região metropolitana, o sistema institucional e administrativo, a divulgação, monitoramento e fiscalização do Plano Diretor. 

      Texto final 

       O documento final da revisão do PDG terá que ser enviado à Câmara Municipal até 31 de dezembro. A equipe técnica é composta por 30 pessoas que já realizaram mais de 100 reuniões com diversas instituições. São profissionais da Seplanh que trabalham na revisão do PDG de 2007 conforme a Lei 171/07 e o Estatuto das Cidades, que determinam a revisão, a cada dez anos, do Plano. Já a Lei que instituiu o Plano Diretor de Goiânia, sancionada em 2007, determina a atualização dele a cada dois anos. 

 Em 2001, o governador Marconi teve a visão de futuro, já prevendo as dificuldades com o abastecimento de água de Goiânia, e projetou a construção da Barragem do João Leite e do Sistema Produtor de Água Mauro Borges

 

Por determinação do governador Marconi Perillo, desde o último sábado (9/9) a Estação de Tratamento de Água (ETA) Governador Mauro Borges entrou em funcionamento para complementar a produção de água tratada para Goiânia e região metropolitana. Antes atendidos pelo Sistema Meia Ponte, 41 bairros da Região Norte de Goiânia receberão um aporte na oferta de água em 1000 litros por segundo da nova Estação.

O início das operações na ETA Governador Mauro Borges estava previsto para o dia 19 deste mês, mas foi antecipado, a pedido do governador Marconi, com objetivo de minimizar os problemas decorrentes do déficit no abastecimento, causado pela escassez de chuva em Goiás e em toda a região central onde está o cerrado brasileiro. Uma segunda interligação deverá ocorrer até o final do mês de setembro, atendendo outros 70 bairros da Capital. Com isso, a tendência é que a água disponível no Meia Ponte seja suficiente para atender as regiões mais distantes.

O tratamento de água na nova estação começou a ser realizado às 16h40 da última sexta-feira (08), quando foram feitos os últimos ajustes. No entanto, a água tratada começou a ser distribuída para os reservatórios da Região Norte às 10h30 do sábado, atendendo a todos os parâmetros de potabilidade da água exigidos pela Portaria 2914/2011 do Ministério da Saúde. Durante o final de semana, o abastecimento de água na Capital foi normalizando gradativamente. Nesta segunda-feira, (11/9), nenhuma reclamação de falta de água foi registrada pela Companhia.

 Oferta de água será duplicada - Projetado para produzir 21,6 milhões de litros de água por hora, o complexo irá praticamente duplicar a capacidade de produção atual. Com a sua entrada em operação e a e manutenção do atual Sistema Meia Ponte, será assegurado o abastecimento para toda a Região Metropolitana de Goiânia até o ano de 2040, quando estima-se que a população local chegará a cerca de três milhões de pessoas.

 A Saneago esclarece à população goiana, em função de uma enormidade de informações desencontradas sobre o novo sistema produtor Mauro Borges, que as obras dele foram realizadas em três etapas. Em 2001, o governador Marconi Perillo, antevendo as dificuldades com o aumento do consumo de água, projetou e definiu pela construção de mais esse reservatório, aproveitando a água do ribeirão João Leite.

A primeira, iniciada em 2002, foi a construção da Barragem do Ribeirão João Leite, que proporciona o armazenamento de 130 bilhões de litros de água, numa área inundada de 1040 hectares. Localizada a seis quilômetros de Goiânia, a represa é responsável por manter constante a vazão de água do ribeirão, que abastece 50% da população da Capital e também por melhorar a umidade do ar de Goiânia e cidades vizinhas.

 A segunda etapa das obras do novo sistema consistiu na construção da Estação Elevatória de Água Bruta, um projeto que previu a utilização da força da água do manancial para o acionamento das bombas que  conduzirão a água, através de uma adutora até a Estação de Tratamento de Água, localizada há pouco mais de dois quilômetros. A inovação tecnológica garantiu à Saneago o Prêmio Brasil de Engenharia de 2010 e o primeiro lugar em premiação concedida pela Eletrobrás/Procel/Abes em eficiência energética no saneamento, em 2009.

 A terceira etapa, que o Governo de Goiás entrega agora à população, é uma das mais modernas estações de tratamento de água da América Latina. A ETA Governador Mauro Borges, que passou nos últimos seis meses por uma fase de testes e, a partir da inauguração, fornecerá água para uma grande parte de Goiânia, como os bairros Jardim Guanabara e Negrão de Lima.

A nova ETA vai produzir, inicialmente, dois mil litros de água por segundo, com possibilidade de expansão para oito mil litros por segundo nos próximos anos, o que assegurará o abastecimento para Goiânia, Aparecida de Goiânia e toda a Região Metropolitana.

 

Governador se reuniu hoje com o ministro de Agroindústria da Argentina, Ricardo Buryaile, com quem conversou sobre fortalecimento da relação comercial bilateral e agronegócio

 

“Nosso estado está no Centro do Brasil, e o que temos aqui hoje é uma oportunidade histórica de aprimorar e melhorar nossas relações comerciais bilaterais”, afirmou o governador Marconi Perillo durante reunião na tarde de hoje com o ministro de Agroindústria da Argentina, Ricardo Buryaile, na sede do Ministério.   Acompanhado pela comitiva de integrantes do governo estadual e empresários, Marconi cumpriu o segundo dia de agenda na Argentina, segunda etapa da Missão ao Cone Sul. O ministro informou a ele que virá ao Brasil no dia 21, e que já pretende visitar Goiás.

Marconi falou ao ministro sobre o interesse do Governo de Goiás na ampliação e no fortalecimento das relações comerciais, ressaltando a diversificação da economia goiana, e o peso da produção agrícola do Estado. “Temos uma economia bastante diversificada. Produzimos e exportamos matérias-primas, mas também processamos essas matérias-primas e produzimos industrialmente outros produtos, entre eles automóveis. Hoje temos uma fábrica especializada na produção de colheitadeiras para cana de açúcar, exportada para o mundo todo”, exemplificou.

Na reunião com o ministro, também estavam presentes empresários argentinos. “Penso que a gente pode vender mais para a Argentina e comprar mais da Argentina. Eu sou um admirador desse País, e acredito que podemos ter muitas complementaridades. Goiás tem muito interesse em ampliar as relações com a Argentina”, reiterou Marconi, que também destacou a força econômica da região Brasil Central, o que os levou à discussão sobre a realização de uma rodada de negócios entre Goiás, Brasil Central e Argentina.

“Nosso foco sempre foi o agronegócio. Eu também presido o consórcio do Fórum dos Governadores do Brasil Central. Somos sete governadores de estados responsáveis por mais de 50% da produção agrícola e pecuária do País. Estados que ajudam o Brasil a sair da crise. São os estados que mais exportam, que mais geram superávit exportador, que mais produzem alimentos, que mais geram empregos, e também estão melhores no PIB”, informou. Eles também debateram interesses no mercado de grãos, peles, etanol e leite.

O ministro Ricardo Buryaile disse que era um orgulho receber o governador de Goiás e sua comitiva de empresários. “Agradecemos muito por essa visita, porque enxergamos que a vocação que temos é de nos integrarmos. Isso é comércio e relação bilateral. O crescimento do nosso povo é a missão que temos e que precisamos proporcionar. A relação do Brasil com a Argentina é excelente e histórica, e pode melhorar mais”, afirmou.