Sidebar

24
julho segunda

Na sequência da maratona do programa Goiás na Frente pelo Entorno de Brasília e Nordeste goiano, o governador Marconi Perillo e o vice-governador José Eliton estiveram hoje em Nova Roma, cidade do Vale do Paranã, para assinar convênio de R$ 2 milhões para obras de asfaltamento de vias urbanas.

Assim que chegou à quadra coberta do Escola Municipal Henrique Passos Pereira, o governador foi recebido e aplaudido de pé pela população local presente no evento. Marconi se emocionou ao abraçar um morador da cidade, Miguel, portador de necessidades especiais, que não perde sequer uma visita dele à cidade.

Disse ter se emocionado com as palavras da prefeita Mirian Leite (PSDB), porque se tem uma cidade que ele gosta de visitar em Goiás e é bem recebido, esta cidade é Nova Roma. Marconi explicou que os recursos do Goiás da Frente não exigem qualquer contrapartida dos municípios. No caso de Nova Roma, ele lembrou que se não fosse a ajuda de R$ 2 milhões, o município demoraria uns dez anos para juntar o dinheiro.

Ele anunciou um aditivo de R$ 1 milhão, para construção da praça e sugeriu à prefeita Mirian que R$ 500 mil sejam aplicados na conclusão das obras da praça e outros R$ 500 mil para reforçar o convênio de R$ 2 milhões para pavimentar as ruas da cidade. “Vou voltar aqui para ver toda a cidade asfaltada”, disse.

Marconi também falou dos investimentos do governo na área social e na Educação, como o recente pacote de matérias de valorização da carreira do magistério em Goiás. “Tenho certeza que vocês não perderam o tempo vindo aqui”, afirmou, explicando que as reuniões do Goiás na Frente não são comício, mas de prestação de contas. Encerrou discurso dando um “viva a Nova Roma”.

A prefeita Mirian lembrou que quando Marconi esteve em Nova Roma pela primeira vez a filha dela, que hoje é advogada, tinha apenas seis anos. A prefeita se emocionou e não se conteve em lágrimas ao narrar fatos que marcaram a trajetória pública de Marconi no Nordeste e especialmente em Nova Roma. “Se o Brasil tiver um governante como Marconi Perillo, eu tenho certeza que o Brasil tem jeito”, disse Mirian Leite, para quem existe um Nordeste goiano antes e um Nordeste goiano depois de Marconi.

Ela lembrou que hoje é possível ir de carro de Nova Roma a Goiânia “sem sujar o veículo”, porque Marconi foi o responsável pela construção da GO-112, que liga Nova Roma e Iaciara, ao custo de R$ 24 milhões. Com os R$ 2 milhões do convênio assinado hoje, a prefeita disse que mais de 90% das ruas da cidade serão pavimentadas.

O vice-governador José Eliton explicou que o Goiás na Frente contempla obras e benefícios que vão impactar positivamente no desenvolvimento de Goiás. Adiantou que, segundo determinação do governador, serão recuperadas todas as rodovias não-pavimentadas na região. Ele destacou os investimentos do governo do Estado no Nordeste goiano, como a construção do Hospital de Regional de Posse, com investimentos superiores a R$ 8 milhões. Na área social, destacou, ainda, muitos programas que estão em andamento, como a construção de 30 mil moradias no Estado no biênio 2017/2018, cujo projeto ser deve ser lançado na próxima quinta-feira. “Pouquíssimos políticos vêm ao Nordeste. O governador vem aqui em Nova Roma para apoiar a prefeita”, disse José Eliton, ao adiantar a retomada das obras de construção da principal praça da cidade.

Integraram a comitiva do governador a Nova Roma o secretário Sérgio Cardoso (Articulação Política), o deputado estadual Iso Moreira (PSDB), ex-prefeitos da cidade, vereadores e lideranças políticas locais.

 

A Prefeitura de Valparaíso de Goiás lançou o Programa de Recuperação Fiscal (REFIS) de créditos tributários ou não tributários, uma grande oportunidade para quitar os débitos e ficar com as contas em dia com a Fazenda Municipal.
 
Para aderir aos descontos, o contribuinte que tem débitos de qualquer natureza da Fazenda Municipal (IPTU; Issqn; Alvará de funcionamento; Parcelamentos atrasados; Multas; Taxa de vigilância sanitária; ISS de obras; Taxas de Contribuição de Melhoria; Licença Ambiental; ITBI; Taxa de ocupação de área pública), inscritos ou não em dívida ativa, inclusive aqueles em fase de execução fiscal já ajuizada, ou que tenha sido objeto de parcelamento anterior não integralmente liquidado, ou cancelado por falta de pagamento, poderão a critério do Poder Executivo, ser pagos parceladamente.
 
A Adesão ao Refis vai até o dia 29 de dezembro de 2017, segundo a Lei número 1,185, de 19 de junho de 2017. O contribuinte deve formalizar o pedido diretamente na Dívida Ativa, que fica no prédio do Fórum e apresentar as seguintes documentações (original e cópia): RG, CPF e documento que comprove propriedade, posse ou domínio útil do imóvel. Para Pessoa Jurídica, além dos documentos descritos, deve conter ainda os Atos Constitutivos e documentos pessoais dos sócios.
 
O contribuinte que aderir ao programa terá oportunidade de obter descontos no valor das multas e juros. No caso de pagamento à vista, será possível abater até 95%, ou até 60% para pagamento de duas a quatro parcelas; até 40% para pagamento de cinco a sete parcelas; até 30% para pagamento de oito a dez parcelas.

A Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar e Execução Penal do Estado de Goiás, sob presidência da desembargadora Sandra Regina Teodoro Reis, lançou na última segunda-feira (17) uma cartilha para ser distribuída aos profissionais que lidam, diretamente, com as vítimas de crimes incursos na Lei Maria da Penha. O material foi entregue ao presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO), desembargador Gilberto Marques Filho, que elogiou e recebeu com entusiasmo a iniciativa.

Ainda neste mês, magistrados que atuam nos Juizados Especiais da Mulher devem começar a receber o informativo, denominado Programa Rede Mulher em Paz. A intenção é explanar o atendimento holístico que deve ser feito às mulheres que buscam auxílio da Justiça após sofrer violência doméstica, segundo destaca a desembargadora.

“Os processos incursos na Lei Maria da Penha têm uma tramitação especifica – não é apenas um rito comum, como nos demais, no qual o juiz apenas despacha e faz audiência. É necessário dar atendimento psicológico à mulher, aos filhos, caso houver, e ao ofensor. Essa cartilha traz, então, um resumo do que pode ser feito”, conta a coordenadora, em referências às determinações do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Além de juízes, delegados, promotores de Justiça e outros profissionais que atuam na rede de enfrentamento à violência doméstica também vão receber a cartilha. “Outros Estados também já entraram em contato conosco para ter acesso ao informativo”, conta Sandra Regina.

Nas páginas da cartilha, há informações sobre o alinhamento estratégico do programa, a metodologia e a execução de projetos já realizados nas comarcas, como Jataí e Rio Verde. Contribuíram com a execução do material as servidoras Daniela de Pádua Rezende e Lucelma Messias de Jesus, na equipe da Coordenadoria, e, com o texto, o juiz de Jataí Rodrigo de Castro Ferreira, que atuou, também na Coordenação Executiva, e os servidores Adriano José da Silva Santos e Eunice Machado Nogueira.

(Fonte: Centro de Comunicação Social do TJGO)

Reunião aconteceu na sede do MP-GO, em Goiânia

Em reunião realizada na última sexta-feira (14/7), o Ministério Público de Goiás buscou definições quanto à efetividade do cumprimento de decisão judicial que obriga a Superintendência Executiva de Administração Penitenciária (Seap) a assumir a cadeia pública de Maurilândia. A decisão liminar acolheu pedido feito em ação civil pública proposta pelo promotor de Justiça Lúcio Cândido de Oliveira Júnior contra o Estado de Goiás e a Seap. 

Conforme sustentado pelo MP-GO na ação, é de conhecimento público que a cadeia não atende às mínimas condições legais para a manutenção de presos provisórios e do regime fechado, uma vez que possui espaço insuficiente para a demanda, com superlotação de presos do município e de distritos judiciários. Na inicial, proposta no mês passado, o promotor exigiu a imediata interdição total e definitiva da cadeia pública de Maurilândia e que o Estado fosse obrigado a assumir a gestão, direção e fiscalização da unidade prisional, via Seap, estruturando o serviço administrativo relativo à execução penal e lotando permanentemente agentes penitenciários na unidade prisional. 

Na reunião, realizada na sede do MP-GO, em Goiânia, o promotor Augusto Henrique Moreno Alves, que está atuando em substituição na comarca, reiterou que a Polícia Militar está atuando em desvio de função na gestão da unidade. Ele acrescentou que atualmente a cadeia está com 32 presos em quatro celas e não possui ala feminina. Além disso, a unidade está localizada no centro da cidade, não possui identificação de presídio e tem muros baixos. 

Ainda de acordo com o promotor, o município tem três policiais na cidade, sendo que um fica em plantão no presídio e às terças e quintas-feiras, dias de audiência, não há policiamento na cidade, o que tem ocasionado o aumento da criminalidade.

Encaminhamentos 
Durante o encontro, a prefeita de Maurilândia, Edjane Alves, reiterou que o município tem interesse em apoiar a estruturação da unidade prisional local, tendo em vista que a cidade é rota de tráfico de drogas. De acordo com o superintendente executivo da Seap, coronel Victor Dragalzew Júnior, a ajuda da comunidade para reforma ou construção de nova unidade é um facilitador, uma vez que o Estado esbarra na liberação de recursos, o que precisaria passar por aprovação de vários órgãos. 

Ele acrescenta ainda que outro complicador é a falta de recursos humanos, já que houve um concurso para a contratação de servidores, que agora aguarda o chamamento do cadastro de reserva. Segundo esclarecido pelo superintendente, já foi apresentado um plano de reestruturação do sistema prisional, com a previsão de que algumas unidades irão absorver outras de pequeno porte.


Participaram ainda da reunião, pelo MP-GO, a coordenadora do Centro de Apoio Operacional Criminal (em substituição), Patrícia Otoni, e o promotor Paulo Eduardo Penna Prado, que atua em auxílio ao CAO Criminal. Estiveram também presentes o secretário de Finanças, Junio Cleiber da Silva, e Arlete Moraes Costa, a presidente do Conselho da Comunidade da Comarca de Maurilândia.

(Fonte: Assessoria de Comunicação Social do MP-GO )

Reunião mais recente aconteceu na semana passada

O Ministério Público de Goiás está participando da proposta de elaboração de um fluxograma de atendimento ao paciente psiquiátrico usuário de álcool e outras drogas e moradores de rua do Município de Goiânia. As tratativas envolvem representantes das Secretarias Estadual e Municipal de Saúde, do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), da Polícia Militar, da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) e de unidades de saúde.

A intenção é formar uma rede de atendimento, por meio de profissionais com perfil para atendimento ao paciente psiquiátrico, com acompanhamento contínuo, mesmo após a alta (dentro do ambiente familiar), que possibilite a reintegração do paciente e sua ressocialização. Estão previstas ainda ações de abordagem pré-hospitalar, visando evitar exposição desnecessária. Por fim, foi levantada a necessidade de capacitação da equipe para abordagem de paciente psiquiátrico. 

Em reunião realizada na sede do MP-GO no início deste mês, o coordenador do Centro de Apoio Operacional da Saúde, Eduardo Prego, destacou que outra importante medida a ser tomada, após a fixação deste fluxo, é a definição quanto aos leitos de saúde mental e para usuários de álcool e outras drogas nos hospitais gerais, Caps e no Credeq. Neste encontro, o coordenador-geral do Samu, André Braga, reiterou que não há suporte adequado a estes pacientes tanto na rede pré-hospitalar quanto na hospitalar.

Em encontro mais recente, representou o CAO Saúde o assessor jurídico Marcos Paulo de Velasco. Nesta reunião, foi definida a proposta de fluxograma, a qual será aprovada, posteriormente, de forma conjunta pelos órgãos de fiscalização. A próxima reunião do grupo está agendada para o dia 2 de agosto.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social do MP-GO 

"Um bom governo não é o que fica chorando as marcas da dificuldade, o bom governo é aquele que resolve os problemas", salientou Marconi


A população de Novo Gama (194 quilômetros de Goiânia), município a Região do Entorno do Distrito Federal, recebeu na manhã da última terça-feira (17/7) o governador Marconi Perillo e comitiva com o programa Goiás na Frente. Ele autorizou a liberação de R$ 7,4 milhões que serão aplicados na construção do Paço Municipal, na recuperação asfáltica e na pavimentação de ruas da cidade.

Os moradores, cientes do compromisso de Marconi com as demandas de todas as regiões do Estado, compareceram em grande número para recepcioná-lo com abraços, pedidos de selfies e para conversar. "Eu quero agradecer, primeiramente a Deus, por estar aqui mais uma vez, e depois, a vocês, que estão aqui desde as 11 horas", salientou Marconi.

Ao definir sua forma de administrar o Estado, ele  declarou que "um bom governo não é o que fica chorando as marcas da dificuldade, o bom governo é aquele que resolve os problemas. Nós estamos ajudando os municípios a enfrentarem a maior crise do Brasil. São três anos de recessão. O dinheiro liberado é dos impostos que vocês pagam. Eu só estou devolvendo. Eu tenho compromisso com as cidades porque assim estou ajudando a população".

A prefeita Sônia Chaves (PSDB) comemorou os resultados da parceria com o Governo do Estado. "Nós assumimos um município com muitas dificuldades, com R$ 70 milhões em dívidas. Se não fosse o apoio do governador Marconi Perillo e dos parlamentares nós não conseguiríamos atender todas as demandas do nosso povo", ressaltou a prefeita.

"Felizmente nós temos um governador que teve coragem e em 2014 tomou as medidas necessárias para antecipar os efeitos da crise. É por isso que estamos pagando os salários em dia, mantendo os programas sociais, garantindo o funcionamento dos serviços públicos e fazendo investimentos", explicou o vice-governador José Eliton, que recebeu o título de Cidadão Honorífico de Novo Gama.

A titular da Secretaria Cidadã, Lêda Borges, que é da região, enumerou os benefícios que o governador trouxe para os municípios do Entorno do DF. "O governador está trazendo para o entorno colégios estaduais, Itegos, a Rotam, o Grupo de Operações de Divisas e uma unidade do Hugo em Valparaíso", e destacou ainda que conseguiu "mais R$ 400 mil para somarmos aos R$ 7,4 milhões do Goiás na Frente em  Novo Gama, maior programa de obras da história de Goiás".

Rodovia - O governador deve inaugurar, já no próximo mês, a ligação asfáltica entre os municípios de Luziânia (GO) e Novo Gama (GO), pela GO-520, totalizando quase 20 quilômetros e investimento de R$ 17,4 milhões. "Sabe o que é o Goiás na Frente? É a estrada que liga Novo Gama a Luziânia. Eu devo voltar aqui, no dia 6 de agosto, para inaugurar a rodovia. Goiás na Frente é a construção do presídio com capacidade para 300 pessoas. Só nessas duas obras foram aplicados R$ 54 milhões. O Goiás na Frente são as três escolas Padrão Século XXI que trouxemos para o entorno", lembrou Marconi. Os municípios goianos do Entorno do DF estão recebendo cerca de R$ 1 bilhão em obras do Governo de Goiás.

Apoio parlamentar - Marconi tem contado com o apoio da Assembleia Legislativa para colocar em prática ações de ajuste fiscal que têm gerado economia para os cofres do Estado. "A Assembleia Legislativa está trabalhando em sintonia com o Governo do Estado para contribuir com o corte de gastos, tanto é que aprovamos três projetos importantes esta semana", explicou o Deputado Estadual Diego Sorgatto (PSB).

Na Câmara Federal o governador também tem seus aliados que trabalham em prol do desenvolvimento de Goiás. O deputado Federal Célio Silveira (PSDB) conseguiu, via emenda parlamentar, R$ 5 milhões para obras em Novo Gama. "Eu tenho compromisso com a prefeita e, principalmente, com os moradores da cidade", disse o deputado.

 Com o objetivo de prevenir acidentes e promover uma melhor qualidade de vida aos moradores de Aparecida de Goiânia, está sendo realizado o projeto de mapeamento geográfico do solo. O projeto do governo federal está sob a responsabilidade do Serviço Geológico do Brasil, com apoio da Defesa Civil do município. A equipe de geólogos está percorrendo as áreas consideradas de risco da cidade e também que apresentem erosões para catalogar e depois promover serviços de prevenção nessas áreas.

“O prefeito Gustavo Mendanha recebeu a equipe logo no início dos trabalho, no final de junho, e disse para darmos todo o suporte necessário para a equipe de análise, pois somos os mais interessados em saber quais áreas, além das que já conhecemos, estão apresentando problemas de solo. Após a primeira fase deste trabalho geológico teremos uma leitura mais dinâmica no que refere ao uso e ocupação do solo, que se aliará ao mapeamento da Defesa Civil”, destacou o superintendente de Defesa Civil do município, Juliano Cardoso.

A equipe da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM) vistoriou mais de 50 pontos, entre eles a Serra das Areias, e foram mapeadas as áreas com desabamento de terra, processos erosivos, áreas de alagamento, corte de solo e demais locais vulneráveis. “Estamos promovendo o mapeamento do meio físico, fazendo análise do solo, da natureza e qualificando as questões de risco e destacadndo as características geológicas do município e em uma primeira análise foi observado que o solo de Aparecida é propício e naturalmente suscetível para formar erosões e voçorocas”, salientou o superintentente regional da CPRM, Luiz Fernando Magalhães.

Um dos pontos considerados primordiais pela equipe de geólogos para que haja redução dos pontos erosivos é a melhoria da drenagem das águas das chuvas e a necessidade de melhorar a forma de lançamento dessa captação nos córregos do município. “Outra irregularidade que ajudam na causa das voçorocas e erosões é o despejo irregular de entulhos e materiais de construção civil. Caso o poder público não se atente para mudar essa realidade e promover uma ocupação ordenada, daqui 10 anos ou até menos, a natureza vai cobrar a conta”, salienotu Luiz Fernando.

 Fases – O Projeto de Mapeamento Geológico de Aparecida de Goiânia possuem três fases. A vinda dos geocientistas ao município consiste na primeira fase, que é a setorização de risco emergencial geológico em áreas urbanizadas. Após a finalização desta parte dos trabalhos, o resultado, que depende também de análise de dados repassados pelas secretarias municipais, é apresentado para o prefeito que realizará ações e possíveis revisões do Plano Diretor, visando reduzir os riscos de erosões mais séries que possam causar tragédias. Essa primeira fase tem previsão de conclusão no fim de agosto.

A segunda fase será a criação de cartas de suscetibilidade do movimento gravitacional de massa corrida e das enxurradas e inundações que será feita tanto na área urbana como na rural. Já a terceira fase será a execução de cartas geotécnicas de aptidão urbana, visando a urbanização frente aos desastres que podem ser usadas na revisão do Plano Diretor, dando dicas de onde é seguro urbanizar. “Esta fase é necessária principalmente devido aos muitos vazios urbanos existentes na cidade e que, caso sejam forta de área de risco, possam ser ocupados”, salientou.

Integram a equipe os geocientistas Rodrigo Luiz Gallo Fernandes, Vivian Athaydes Canello Fernandes e Deyna Pinho Tiago Duque, da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM) é uma Empresa Pública vinculada ao Ministério de Minas e Energia com as atribuições de Serviço Geológico do Brasil. Para o suporte aos pesquisadores, foram destacados os agentes de Defesa Civil Roneiron Souza, Priscila Ribeiro e Marivânia Farias. Vivam salientou ainda que um dos problemas observados na cidade e que trazem riscos para a população são os recortes e aterramentos irregulares.

“A população tem a mania de aterrar ou fazer recortes nos terrenos antes de iniciar uma construção com o objetivo de nivelar o solo. E essa ação pode causar grandes tragédias. O correto é intervir o mínimo possível no solo, que diferente do que pensam os moradores, não é firme. Aqui em Aparecida observamos muitas ações irregulares e um terreno onde o recorte atingiu os 90 graus e a casa corre o risco de desabar no lote abaixo. Pois a terra ela vai procurar um caminho para ir e o caminho natural é o deslizamento”, disse Vivian Athaydes.



Fonte: Ascom

Construção de nova unidade de saúde do setor Santa Efigênia entra em fase final


As obras de construção de uma nova unidade de saúde no setor Santa Efigênia, bairro mais populoso de Caldas Novas, foram retomadas no último dia 11 de Julho.

O mini hospital está sendo construído ao lado da Escola Municipal Santa Efigênia, na Rua Jair Pereira Carneiro e contará com ampla recepção, consultórios médicos, salas para aplicação de medicamentos, consultório odontológico e toda a estrutura necessária para os pacientes.

A expectativa é que o prédio fique pronto até o mês de Agosto. Nesta etapa final restam apenas serviços de acabamento

Aparelho moderno serve para a esterilização de objetos hospitalares

Na última  segunda-feira, 17, o Hospital Municipal André Ala Filho recebeu equipamentos destinados a nova CME - Central de Material de Esterilização, que está sendo implementada no local, de acordo  com as mais novas normas da Vigilância  Sanitária. O aparelho de autoclave hospitalar horizontal, com purificador de água por osmose e a impressora matricial foram adquiridos através de licitação na modalidade de pregão, da empresa Steris Brasil. O próximo passo é a montagem do equipamento.

A esterilização em uma autoclave consiste em manter o material contaminado em um recipiente hermeticamente fechado, com líquido em alta temperatura por um determinado período de tempo. O processo promove a eliminação de resíduos e micro-organismos e reduz as chances de infecções hospitalares por objetos contaminados.

Esses novos materiais que agora se incluem no patrimônio do Hospital Municipal são indispensáveis ao processo de melhoria do atendimento que está em curso no Hospital. “Havia demanda desses novos equipamentos há algum tempo, e com a chegada deles poderemos atender melhor nossos pacientes e oferecer mais segurança”, comenta a diretora da unidade de saúde, Luciana Castro.

(Fonte: Secretaria Municipal de Saúde de Caldas Novas)

O prefeito Gustavo Mendanha e o secretário de Saúde Edgar Tollini receberam na manhã desta terça-feira (18) o secretário nacional de Atenção à Saúde (SAS/MS), Francisco Figueiredo. Durante a visita, Gustavo e Tollini apresentaram ao secretário o Hospital Municipal, as obras da Unidade Básica de Saúde do bairro Ilda, o Centro de Especialidades e a Unidade de Pronto Atendimento do Parque Flamboyant, inaugurada recentemente.

Francisco Figueiredo veio a Aparecida, representando o Ministério da Saúde, para conhecer de perto a rede de saúde pública que está sendo estruturada na cidade. O Ministério da Saúde liberou no início de julho R$ 9 milhões para compra de parte dos equipamentos da primeira etapa do Hospital, que deve entrar em funcionamento ainda este ano.

Segundo o secretário de Saúde Edgar Tolini, o Hospital Municipal entrará em funcionamento em etapas. “Na primeira estão previstos 70 leitos clínicos, a ala de diagnóstico, parte do centro cirúrgico, 20 UTIs adulto, parte administrativa, lavanderia, Central de Material Esterilizado, cozinha e pronto socorro que tem 10 leitos”, ressaltou Tollini. Ainda segundo Edgar, sete UBSs também estão previstas para este ano nos setores Chácara São Pedro, Rosa dos Ventos, Santo André, Cruzeiro do Sul, Bairro Cardoso, Garavel e Bairro Ilda.

O prefeito Gustavo Mendanha agradeceu a toda equipe do Ministério da Saúde em nome do secretário Francisco. “Estamos com a primeira parcela do recurso total de R$ 18 milhões em caixa. O restante deve ser liberado até o dia 31 de julho e já vamos começar a licitar os equipamentos. Aparecida ganhou muito com o respaldo e parceria do ministério”, comemorou o prefeito.

A Secretaria de Atenção à Saúde é ligada ao Ministério da Saúde. A pasta de Francisco Figueiredo é responsável pelo Departamento de Atenção Hospitalar e de Urgência (DAHU), que cuida de todos os hospitais públicos do Brasil, SAMUs e serviços ligados à urgência e emergência.

“Encontrei em Aparecida grande estrutura em relação à saúde. O Hospital trará muitos benefícios não só para a cidade, mas para todos que dependem da saúde pública do município. O Centro de Especialidades também será fundamental para toda rede da cidade e será entregue em breve”, destacou o secretário Francisco Figueiredo.

Hospital Municipal

O HMAP possui 21 mil metros quadrados, sendo seis blocos, que incluem pediatria, geriatria, dois para clínica médica e dois para pós-cirurgia. O HMAP abriga ainda 220 leitos, sendo 90 leitos clínicos, 60 leitos cirúrgicos, 20 leitos pediátricos, 30 leitos de UTIs, 10 leitos de recuperação anestésica e 10 leitos de reanimação e observação. A unidade fica na Avenida V-5, áreas 01 a 04, no setor Cidade Vera Cruz. A obra foi orçada em cerca de R$ 64 milhões.

A unidade também possuirá área de pronto-atendimento; atendimento de urgência e área de apoio terapêutico, ambulatório, apoio diagnóstico, raio-x, eletrocardiografia, ultrassonografia, endoscopia, tomografia computadorizada, laboratório, apoio técnico e administrativo, apoio logístico, farmácia, serviço de nutrição e dietética, lactário, internação geral (adulta e pediátrica), e centro cirúrgico com 10 salas.

Rede completa de atenção à saúde

Com uma população de aproximadamente 550 mil habitantes, Aparecida tem mesmo motivos para comemorar. O Hospital Municipal veio para tornar a rede de saúde pública da cidade autossuficiente. O município conta atualmente com três Unidades de Pronto Atendimento 24 horas, nos setores Brasicon, Buriti Sereno e Parque Flamboyant.

As UPAs têm capacidade para oferecer até 500 atendimentos por dia. As unidades são porte III, ou seja, possuem uma abrangência de 200 a 300 mil habitantes. Com as três UPAS em funcionamento pleno, Aparecida tem uma cobertura de mais de 100% na rede de atenção às urgências. Os Cais Nova Era e Colina Azul também dão suporte no atendimento de urgência e emergência da cidade.

A população aparecidense conta ainda com 34 Unidades Básicas de Saúde, quatro unidades ambulatoriais, um Centro de Especialidades em construção e uma rede completa de saúde mental, com quatro Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), Unidade de Acolhimento Infantil e Consultório na Rua.

 


Fonte: Ascom

A Defensoria Pública do Estado de Goiás (DPE-GO) participou, como instituição de defesas dos diretos da população carente, na manhã de segunda-feira (17/07), do sorteio de 332 apartamentos populares localizados no Residencial Buriti Sereno, em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital. Promovido pela Agência Goiana de Habitação (Agehab), o sorteio foi realizado às 9h, no auditório do Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO), com a participação do defensor público Domilson Rabelo da Silva Júnior, e representantes do MP-GO, Ministério Público Federal (MPF) e Caixa Econômica Federal (CEF).
Para o defensor, que é membro da Comissão Especial do Direito Social à Moradia e Questões Fundiárias, do Colégio Nacional dos Defensores gerais (Condege), a participação neste sorteio é fruto dos passos da Defensoria que atua em várias demandas ligadas nesta área fundiária, nas questões de moradia, em defesa da população. “Nós e outros participantes acompanhamos toda a lisura do procedimento, isso é importante registar para a sociedade. E muito mais do que isso, fizemos parte de um momento importante em que pessoas carentes foram contempladas”, afirmou.
Ao todo, foram inscritas 18.365 pessoas, das quais 14.445 foram consideradas aptas a participar. Os apartamentos podem ser financiados em até dez anos, com parcelas que variam de R$ 80 a R$ 270. De acordo com a Agehab, os contemplados têm entre os dias 20 de julho e 8 de agosto para entregar toda documentação necessária. Depois, o processo é remetido à Caixa.
Quem não seguir o prazo é substituído por integrantes de uma lista de espera, que também foram sorteados nesta segunda-feira. O número é 30% do total geral.

Ascom/DPE-GO 

Interessados podem se inscrever para as 50 vagas nesta quarta e quinta-feira, 19 e 20 de julho. O curso é gratuito e visa capacitar pessoas para o mercado de trabalho
 
As inscrições para o curso gratuito de informática básica do Centro de Inclusão Digital do Trabalhador (CIT) poderão ser feitas nesta quarta e quinta-feira, 19 e 20 de julho. Qualquer pessoa alfabetizada acima dos 16 anos de idade pode se candidatar às vagas. Para concorrer, os interessados devem se inscrever pessoalmente na sede da Central de Processamento de Dados (CPD), situada na Rua 10, número 416, 1º andar, Setor Oeste, entre 13h30 e 17 horas. É necessário apresentar documento de identificação e comprovante de endereço.
 
São ofertadas 50 vagas para o curso e as aulas acontecem de segunda a sexta-feira, das 13h15 às 15h15 para a primeira turma, e das 15h30 às 17h30, para a segunda turma. As aulas terão início na próxima segunda-feira, dia 24 de julho e a duração total do curso é de 60 dias. O CIT é um projeto social criado em 2009 pelo Instituto de Desenvolvimento Tecnológico e Humano (Idtech), e tem como objetivo capacitar o público para o mercado de trabalho, ensinando informática básica.
 
Serviço
O que: Inscrições para curso gratuito de informática básica
Quando: 19 e 20 de julho (quinta e sexta-feira)
Onde: Central de Processamento de Dados (CPD) do Instituto de Desenvolvimento Tecnológico e Humano (Idtech)
Endereço: Rua 10, número 416, 1º andar, Setor Oeste, acima da Pizza Z
Informações: (62) 3524-1915
 

Na estação mais fria do ano, muitos goianienses procuram alternativas gastronômicas que ajudem a enfrentar o inverno na capital. Pensando nisso, o Comfort Suites Flamboyant realizará durante toda quarta-feira do mês de julho, no Restaurante Baru, localizado no hotel, a “Noite de Caldos”. O cardápio inédito busca atender hóspedes e visitantes que apreciam o tradicional alimento, que é produzido com um toque de modernidade característico da culinária do restaurante.
Em cada dia do evento, os visitantes terão à disposição seis tipos de caldos, além de poderem degustar acompanhamentos, como torrada, bacon, calabresa e queijo parmesão. Entre os destaques do cardápio, estão os caldos de abóbora com gengibre, mandioca com carne seca, ervilha e chica doida, sabor selecionado em homenagem aos tradicionais pratos com milho produzidos na região. Toda a semana, o hotel trará novidades no cardápio com novos sabores de caldos para surpreender o público.
De acordo com a gerente de Alimentos e Bebidas do Comfort Suites Flamboyant, Débora Abreu, a ideia surgiu da observação dos hábitos goianienses durante as épocas mais frias na cidade. “A procura por pratos tradicionais que combinem com a estação tem crescido por toda a cidade. Por isso, decidimos criar um evento que possa atender aos desejos de nossos hóspedes e visitantes, garantindo uma noite confortável com alimentos que combinam tradição e contemporaneidade”, explica Débora.

Serviço: Noite dos Caldos
Quando: Todas as quartas-feiras do mês de julho
Quanto: 29,90 por pessoa
Onde: Comfort Suites Flamboyant

Primeiro hackathon B2C do segmento irá repensar a experiência do cliente nos dias 4 a 6 de agosto, no Rio Quente Resorts
 

 O Grupo Rio Quente realizará, entre os dias 4 e 6 de agosto, a primeira edição brasileira de um hackathon para Turismo e Entretenimento, maratona de desenvolvimento em que profissionais projetam e executam soluções inovadoras a partir de temas e demandas propostos por um time de negócios.
 
Para repensar o que é essencial para o cliente, a experiência de viagem e o alto desempenho das quatro empresas que compõem o Grupo – Rio Quente Resorts, Valetur Viagens, Hot Park e Rio Quente Vacation Club -, o hackathon terá a duração de 38 horas de atividades, no Hotel Turismo dentro do complexo do Rio Quente Resorts. A programação se inicia com um brainstorming no dia 4 e será finalizada dois dias mais tarde quando as equipes apresentarão as soluções para uma banca de jurados e serão reconhecidas com premiações especiais.
 
Esta é uma iniciativa do Programa de Inovação do Grupo Rio Quente, que desde 2009 vem pensando em soluções e metodologias de como oferecer mais aos hóspedes e a toda a cadeia.  “Como uma empresa que acredita que inovação deve ser constante em processos, produtos e serviços, pensamos neste programa como o caminho para identificar e investir em ideias diferenciadas que se convertam em mais competitividade para o nosso negócio. No segmento de turismo e entretenimento, esta é uma iniciativa pioneira, pois as duas maratonas já realizadas no mercado não tinham o cliente como centro da experiência”, afirma Alessandro Cunha, Gerente Geral Experiência Estratégia e Inovação do Grupo Rio Quente. 
 
Estratégia e Inovação
“Ser inovador em tudo o que fazemos”: este é o lema e um dos principais objetivos de negócios do Grupo Rio Quente, que criou em 2009 uma área de Estratégia & Inovação. Foi nesta área que nasceu o programa de Inovação, que hoje atua em duas grandes frentes, Ideias Premiadas e Programa de Projetos. A primeira consiste em um canal para registro de sugestões simples e com possibilidades de execução imediata. A segunda trata de propostas mais complexas e que demandem investimentos mais robustos. 
 
“O Hackathon será o nosso divisor de águas para apostar, cada vez mais, em inovação disruptiva”, complementa Alessandro, que tem se aproximado de startups e colaboradores para repensar inovação em aspectos mais simples e processos até investimentos tecnológicos. 
 
Como participar
As inscrições para o hackathon já estão abertas e vão até o dia 24 de julho no hotsite www.gruporioquente.com.br/hackathon/. Podem participar programadores, designers gráficos e de interface, desenvolvedores e conhecedores de negócios no segmento de Turismo e Entretenimento.
 
O evento é gratuito e, para transporte dos participantes, o Grupo Rio Quente disponibilizará um ônibus partindo da cidade de Goiânia. A inscrição ainda inclui três refeições diárias – café da manhã, almoço e jantar – sem custo. Não estão incluídas despesas com deslocamento até a cidade de Goiânia, consumo de bebidas alcoólicas, telefone, frigobar e ingressos para atrações.
 
 
Sobre o Grupo Rio Quente
 
Controlado pelas holdings Algar (Uberlândia-MG) e FLC Participações e Investimentos S/A (Goiânia-GO), o Grupo Rio Quente iniciou sua história em 1964 e está estruturado em quatro frentes de negócios complementares - Hospitalidade, Entretenimento, Operação turística e Vacation ownership. No total, o Grupo opera um complexo turístico com uma área superior a 497 mil m², que recebe cerca de 1,5 milhão de visitantes por ano em Goiás, sob as marcas Rio Quente Resorts, Hot Park, Eko Aventura Park, Valetur Viagens e Rio Quente Vacation Club (RQVC).